Posts tagged Blog de JJ

O Sport em dez anos jogou 650 partidas…

PELO BLOG DE JJ

A insanidade é o padrão maior do futebol brasileiro.

Levantamento feito pela Pluri Consultoria mostrou que os clubes brasileiros são os que mais entraram em campo entre 2006 e 2017 no planeta.

Algo que assusta a qualquer analista desse esporte.

É o Inacreditável Futebol Clube.

O Internacional liderou esse ranking, com 713 jogos realizados. Desses 213 foram dos estaduais.

O Grêmio foi o segundo com 703 partidas, com 188 pelos estaduais.

Em terceiro vem o Santos, com 701, com 209 pelos estaduais.

Entre os 10 primeiros todos são clubes brasileiros.

Do 11º ao 20º aparecem 17 clubes do nosso futebol e 3 colombianos.

O Sport Recife está na 14ª colocação, com 650 jogos, sendo que 150 foram gastos com os estaduais.

O Náutico ficou na 28ª colocação entre os 50 clubes ranqueados, com 595 jogos, sendo que entre esses 173 foram dos campeonatos locais.

Obvio que se os estaduais não existissem teríamos números iguais aos do futebol europeu.

Para que se possa observar que o calendário é estrambelhado, o Barcelona nesse período atuou por 593 vezes, 120 partidas à menos do que o Inter e 57 à menos do que o Sport.

O Real Madrid jogou 555 vezes.

Os números atestam o que sempre afirmamos em nossas postagens com relação ao Calendário, que é um monstro criado no laboratório da Barra da Tijuca e que vai consumindo o nosso futebol.

– ¨DEIXA MORRER¨

* Recebemos um vídeo com uma cena que caracteriza o ponto a que chegamos na irracionalidade no futebol brasileiro.

Pela sexta rodada da primeira fase do Brasileiro da Série D, o Treze e o Vitória da Conquista se enfrentaram em Campina Grande no antigo estádio Presidente Vargas.

O jogo terminou empatado, com o time paraibano se classificando em primeiro lugar do seu grupo.

Aos 41 minutos, a partida teve que ser paralisada para a entrada da ambulância em campo depois de um choque de cabeça entre o zagueiro Vinicius, do time baiano e o atacante Maxuel Samurai do time da Paraíba.

A equipe médica achou prudente levar o zagueiro baiano para o hospital, quando na ocasião os torcedores do Treze bradavam ¨deixa morrer¨, ¨deixa morrer¨.

O relato está na súmula do jogo.

Indignado o meia campista do time do Vitória da Conquista foi tomar satisfação com os torcedores, e foi atingido por copos, objetos diversos e cusparadas, ao se aproximar do alambrado.

Pensamos que tínhamos visto de tudo no futebol do nosso país, mas torcedores pedindo aos médicos para deixar um atleta que está ganhando o seu pão morrer, passou do limite da racionalidade.

Depois disso somente o diluvio.

– O PALMEIRAS FICOU DE JOELHOS PERANTE A MANCHA VERDE

* A torcida organizada do Palmeiras, Mancha Verde, deixou de calças nas mãos e ajoelhada aos seus pés, a diretoria do clube.

Uma vergonha para uma agremiação tradicional e com uma rica história no futebol brasileiro.

Barrados nas gestões de Paulo Nobre, os integrantes dessa facção conseguiram em uma semana fazer três reuniões com a diretoria do alviverde de São Paulo.

Nessas reuniões os torcedores exigiram a saída de Tchê Tchê e de Dayverson, além de pedir a entrega da faixa de capitão a Dudu.

Além disso indicaram contratações.

A primeira reunião foi na sede da Mancha, com a presença do Diretor Executivo Alexandre Mattos, que perdeu cinco horas de trabalho prestando contas aos torcedores. Dudu esteve presente.

Uma dessas reuniões foi realizada na Academia do Palmeiras, com a presença de diretores, e o resultado dessa foi o de abrandar o pedido de saída de Roger Machado.

Vamos e convenhamos, na realidade o clube entregou-se de corpo e alma a uma organizada que está tornando-se maior do que esse, e que dá as cartas a uma diretoria que tem medo de enfrenta-la como aconteceu na gestão anterior.

Esse é o retrato do futebol brasileiro. Por isso é que está no fundo do poço.

Lamentável.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

Enfim um bom jogo de futebol…

PELO BLOG DE JJ

O melhor jogo entre todas as Divisões Nacionais aconteceu no dia de ontem, entre o Confiança e Santa Cruz, pela Série C.

Não é necessário ter jogadores com altos salários para que se tenha um bom futebol, basta a vontade, e sobretudo a raça dos times para que a bola não seja maltratada.

O time sergipano assim como o tricolor de Pernambuco entraram em campo para jogar, e o fizeram.

O primeiro tempo foi melhor para a equipe da casa, embora o Santa Cruz tenha perdido um gol cara a cara com o goleiro.

Na segunda fase, com as mudanças efetuadas o time Coral tomou gosto pela partida, quando levou um gol do Confiança. Não se abalou e continuou atacando, conseguindo o empate.

O azulão sergipano nos minutos finais procurou o desempate e o interessante é que o tricolor do Arruda não fechou-se e também buscou a vitória.

Uma partida interessante, com um bom público e sobretudo com a boa vontade de jogar futebol dos dois contendores.

Assistimos tantos jogos fracos nas demais divisões, e finalmente na segunda-feira fomos presenteados com uma boa partida.

O empate de 1×1 foi justo para ambos.

– A VINGANÇA DOS VISITANTES

* A sétima rodada do Brasileirinho serviu como vingança dos times visitantes, já que estavam sendo massacrados, e conseguiram pela primeira vez conquistarem mais vitórias do que os mandantes.

Foram cinco contra três dos donos da casa, e dois empates.

A média de gols foi de 2,4 por jogo, e como já era esperado apenas 135.671 pagantes estiveram nas arquibancadas, com uma média de 13.567 por jogo.

No geral os mandantes somam 35 vitórias, empates 21 e 13 para os que visitam.

O total de publico é de 1.182.812, uma média de 17.142 torcedores por jogo.

Com relação a classificação da competição, o Flamengo lidera com 14 pontos, que é a menor da era dos pontos corridos com 20 clubes.

Obvio que muita água vai rolar por baixo da ponte, mas nessas sete rodadas no meio de uma mediocridade generalizada alguns clubes se destacaram, tais como o Fluminense com os seus jovens do Xerém, que está na vice-liderança, graças ao comando de Abel Braga, e o São Paulo de Diego Aguirre que vem evoluindo jogo a jogo, é o único invicto entre todas as competições, e com o bom futebol de Diego Souza e Nenê, será um dos candidatos ao título.

Enquanto o tricolor paulista em sete rodadas não sofreu nenhuma derrota, Ceará e Paraná não conseguiram uma misera vitória, e são sérios candidatos ao rebaixamento.

Por uma coincidência dois time que vieram do acesso.

Com referencia ao Sport, sem duvida o time aprendeu a jogar dentro das limitações, e pelo andar da carruagem poderá fazer um percurso de manutenção de forma tranquila.

As decepções vem do Grêmio e Palmeiras, sobretudo esse último que é tratado pelas mídias como dono de um grande time.

Na verdade é grande apenas no papel, e quando o assistimos jogar é tão mediano como os demais.

– SEIS MESES DE HIBERNAÇÃO

* A fase de grupos da Série D foi encerada no último domingo, e com ela mais 36 clubes começaram com o processo de hibernação e já seguiram para as cavernas para se juntarem as centenas de outros que tiveram esse destino logo após os estaduais.

Serão seis meses sem futebol para esses e o desemprego de mais de 792 profissionais, sem contarmos com os demais segmentos de um departamento de futebol.

O futebol brasileiro é autofágico quando degusta seus membros em uma fogueira.

Enquanto isso, o Circo do Futebol Brasileiro (CBF), prepara um voo da alegria levando 26 presidentes de federações, e 10 de clubes das Séries A e B. com um dispêndio de R$ 4 milhões.

A Série D tem que ter o formato das outras competições, com maior número de clubes divididos em grupos regionais, como a C deveria ser igual as Séries A e B, com jogos durante o ano.

A criação de uma nova Série, a E, regionalizada fecharia o ciclo de manutenção do futebol no Brasil.

Em Pernambuco um clube da tradição como o Central, sediado em uma cidade economicamente forte, é um dos que irão hibernar.

Qual o seu futuro?

Belo Jardim e Flamengo-PE juntaram-se ao time de Caruaru, estão na parte mais alta da Serra das Russas.

Que futebol é esse que destrói os clubes, e joga fora recursos com cartolas que nada fazem por esse?

Nem Freud poderia explicar.

Lamentável.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

Ainda bem que temos o Salgueiro…

PELO BLOG DE JJ

Quando assistimos o Náutico jogar verificamos o tamanho do nosso futebol, desde que o alvirrubro há pouco tempo conquistou o título de campeão estadual.

Imagine os seus adversários.

Na tarde de ontem o Timbu completou a quarta derrota em seis jogos realizados pela Série C Nacional.

Foi derrotado pelo Juazeirense por 2×0, placar que foi injusto para o time baiano que teve diversas chances de marcar mais gols.

A equipe pernambucana não apresentou nada de positivo durante a partida.

Foi dominada por um time simples, de pouca qualidade, mas com uma boa organização.

O Cancão de Fogo bicou o Timbu.

A situação do Náutico cada dia se agrava mais.

Não tem um treinador capaz de se impor perante o elenco, e hoje a sua luta não será pelo acesso, e sim pela permanência na atual Série.

O time é frágil, sem a mínima qualidade e com um agravante o de ser mais desorganizado do que um bloco de rua.

Ou a sua diretoria acorda, ou terá um pesadelo no final dessa fase da competição, com a possibilidade de ser rebaixado para a Serie D Nacional.

Se isso acontecer será o fundo do fundo do poço, e lamentável para o futebol de nosso estado, que está na UTI por um bom tempo.

No período noturno foi a vez da Cobra Coral apanhar do Belo da Paraíba, em um jogo de viradas e muito bom de se assistir.

Uma partida com alternâncias.

Um período era do Santa Cruz, o outro do Botafogo-PB, e o placar final para o alvinegro paraibano mostrou a realidade e a intensidade do jogo (3×2).

O Belo saiu à frente, o tricolor empatou e virou o placar para 2×1, e perdeu chances de amplia-lo.

O empate e a virada surgiram para a equipe da Paraíba que fechou o resultado.

Na verdade se houvesse justiça no futebol, o empate seria de bom tamanho pelo que os dois times apresentaram.

Enquanto os clubes de nossa capital eram atropelados, o Salgueiro de forma surpreendente jogando a sua melhor partida na competição atropelou o ABC de Natal por 3×0.

Não havia nenhum ser pensante que acreditasse numa conquista do time sertanejo, mas essa veio e salvou o futebol de Pernambuco de um vexame.

Ainda bem que temos o Salgueiro que venceu o seu jogo, e ainda mandou o Náutico para a lanterna da competição.

– UMA BONITA FESTA NA DESPEDIDA DE BUFFON

* A Juventus já tinha conquistado o titulo da Liga Italiana, e o seu último jogo foi programado para entrega do troféu e das medalhas para os campeões, e em especial para a despedida do goleiro Buffon, que após 17 anos de clube resolveu encerrar a sua participação no time de Turim.

A Juve derrotou o time Hella Verona por 2×1, mas as arquibancadas vibraram com os cânticos em homenagem ao seu maior ídolo.

A sua presença vestindo a camisa da Velha Senhora por quase duas décadas é um fato raro em um esporte que há anos vive de idas e vindas dos atletas.

As cores dos times já não tem validade. O dinheiro soa mais alto.

Aos 17 minutos do segundo tempo Buffon foi substituído, fato esse que originou o momento mais bonito e de maior emoção na partida.

Ao deixar o gramado, o capitão da Juve abraçou todos os jogadores, recebendo beijos desses, além de ser festejado pelos adversários.

As câmeras da televisão percorriam as arquibancadas focando as crianças e adultos chorando com a emoção do momento.

Sem duvida um acontecimento que ficará na história do futebol que também tem seus bons momentos, deixando um recado que ainda se pode acreditar nesse esporte.

Uma festa bonita, inclusive na entrega das medalhas. Organizada, com o fator civilidade tomando conta da Arena.

Buffon é um exemplo do lado bom desse esporte.

Nos lembramos do goleiro Magrão com os seus 13 anos no Sport, que é outro exemplo de dignidade e que merece uma grande homenagem em sua despedida.

– ROGÉRIO CENI E O FORTALEZA

* No final do estadual cearense quando o Ceará conquistou o título, os torcedores do Fortaleza pediram a cabeça de Rogerio Ceni, sob a alegação de três derrotas seguidas para o time rival.

Felizmente o presidente do clube bancou o técnico, e os resultados estão aparecendo na Série B Nacional com uma campanha brilhante do tricolor do Pici.

Assistimos na última sexta-feira mais uma vitória da equipe cearense contra o Figueirense por 3×1, em um dos melhores jogos realizados nessa divisão.

O Fortaleza acumulou 16 pontos em seis rodadas, com cinco vitórias e um empate, e lidera a competição. São 14 gols marcados e quatro sofridos e um aproveitamento de 88,9%, que é excelente.

O time joga de forma simples com um tradicional 4-3-3 e preza pela posse de bola. No jogo em Santa Catarina o tricolor conseguiu 20 finalizações.

Na realidade a Série B é frágil, e se o time cearense continuar com essa brilhante campanha poderá ter o acesso garantido no final da competição, e que poderá substituir o rival que não anda bem na Série A, com tendência de ser rebaixado.

A campanha do Fortaleza só perde para a do Corinthians em 2008, que tinha 18 pontos em seis jogos.

Com relação aos clubes do Nordeste que disputaram essa divisão desde 2006, empata com a do Náutico de 2015.

O importante é que dentro das limitações do time, Rogerio Ceni está aproveitando bem de todas as suas peças e jogando um bom futebol.

Os dois próximos jogos do tricolor do Pici serão em casa, e os adversários estão na zona da degola, Criciúma e Sampaio Correa.

O Fortaleza com a sua grande torcida faz falta ao Brasileirinho.

– OS RESULTADOS DO BRASILEIRINHO

* Ontem foram realizados três jogos na abertura da sexta rodada do Brasileirinho.

No período da tarde, com o estádio Independência com espaços ociosos, o Atlético-MG enfrentou o time reserva do Cruzeiro, que fez a opção pelo jogo da Libertadores na próxima terça-feira.

O Galo que não tinha nada com isso aproveitou-se e o derrotou por 1×0.

Apesar do time reserva a Raposa foi valente, teve boas chances e se tivesse maior força ofensiva, poderia ter saído com um resultado melhor.

Já o alvinegro que era o mandante e precisando de uma vitória para aliviar a pressão, tomou a iniciativa do jogo, com uma maior posse de bola no primeiro tempo, 67,5%. Chegou a criar algumas chances, mas pecou nas finalizações.

O Cruzeiro nesse período optou por jogar retrancado, compactado na marcação, mas bem fraco nos ataques. Nos primeiros 45 minutos, o placar foi de 0x0.

No segundo tempo, aos 3 minutos, o meia do time Celeste, Mancuello levou o segundo cartão amarelo e o vermelho.

Mesmo com um a menos a Raposa atuou de forma diferente da primeira etapa não se encolhendo na defesa.

O Galo cresceu, e marcou o seu gol vencedor, enquanto o Cruzeiro mesmo com 10 homens tentava o empate.

Um jogo sem sal, sem gosto, e ganhou aquele que jogou com o time titular.

No Maracanã, o clássico entre Flamengo e Vasco foi grotesco.

Aliás, as vaias dos torcedores no final mostraram o desencanto com os dois times.

Uma partida com menos de 50% de bola correndo, com muitas faltas, reclamações e quatro expulsões, dois de cada lado.

Pouca bola e muita confusão, que é o retrato do futebol carioca.

O placar de 1×1 ficou de bom tamanho por conta da mediocridade.

No Allianz Parque, o Palmeiras no primeiro tempo liquidou o Bahia com o placar de 3×0 que permaneceu até o final.

A segunda fase foi de manutenção.

O time baiano a cada rodada se afunda mais na zona da degola.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

Na Ilha do Retiro mais um jogo contra a degola!

PELO BLOG DE JJ

O Sport foi beneficiado pela tabela do Brasileirinho, ao enfrentar nos quatro primeiros jogos times que irão brigar contra a degola.

Confrontos diretos.

Uma vitória empurra o adversário para o abismo.

Após realizar um treino aberto para que a torcida pudesse abraçar o elenco, fato ridículo e cópia de alguns times do eixo Rio/São Paulo, o rubro-negro da Ilha do Retiro irá enfrentar o Bahia, clube que não tem grande coisa no balaio, só a tradição.

O que vimos nesse encontro com a torcida, segundo o vídeo que recebemos foi que esse serviu para que os torcedores pudesse fazer um protesto contra o presidente do clube, que ouviu coisas que não queria.

A segurança do clube tentou intimida-los conforme o que está gravado.

No Sport existe um regulamento que não é permitido protestos e sim aplausos.

Com relação a partida não existe favoritismo, o Bahia é o 13º, com 4 pontos, e a equipe pernambucana é a 14ª com a mesma pontuação.

Como o técnico Claudinei de Oliveira afirmou que o seu time estava muito bem, vamos acreditar, só que não pode fazer como no Avaí que era o bom e terminou na Segunda Divisão.

De uma coisa temos a certeza de que será uma noite de sofrência para os adeptos do Velho Leão, que estará completando 113 anos no dia 13 de maio, e para tristeza de todos sob um comando destruidor.

– CAMPEÃO NO HOTEL

* Um fato inusitado aconteceu no dia de ontem por conta do empate de 0x0 no Derby Sporting e Benfica, em Lisboa.

Com esse resultado o Porto que estava hospedado em um hotel para o seu jogo de hoje contra o Feirense, comemorou a conquista do titulo de campeão, após uma excelente jornada, com 4 pontos à frente dos dois rivais, com dois jogos à realizar, enquanto esses só tem 3 pontos à serem somados.

O estádio lotado, ingressos vendidos de forma antecipada, com o jogo transmitido apenas pela TV fechada, com um detalhe, o horário racional de 20h30, enquanto no Brasil da violência os torcedores tem que aguentar o pós novela.

Aliás esse é um dos motivos das ausências nos estádios e a fuga para outros segmentos.

Uma segurança perfeita, proibindo os exageros, e com a virtude, o da torcida mista, sem incidentes apesar das rivalidades.

No Brasil da única torcida, as ruas e os estádios são palcos de brigas.

– MAIS UMA CRUZ NO FUTEBOL

* Não há solução para o futebol brasileiro.

Esse é o retrato do que acontece no país, e sobretudo nos esportes.

O sistema apodreceu e levou consigo tudo de bom que tinha sido amealhado.

Para conter os problemas tiraram o sofá da sala, ou seja, as torcidas adversárias dos estádios.

Na verdade isso não resolveu, desde que a sanha dos torcedores é patológica, e vem da falta de civilidade.

Podemos citar dois exemplos que ocorreram ontem em partidas de torcidas únicas.

No Serra Dourada, o Goiás enfrentou o Vila Nova com a presença da torcida esmeraldina e o mesmo assim como os bandidos não tinham com quem brigar, os fizeram entre si.

A confusão foi grande inclusive com a apresentação de uma arma de fogo.

Em Campinas, o Derby local entre Guarani e Ponte Preta, contou com a torcida do bugre.

Final da história, uma torcedor da Macaca, com 18 anos, foi baleado fora do estádio e morreu no hospital.

Mais uma cruz a ser contabilizada na soma geral.

Por outro lado em um treino aberto do Vasco da Gama, mais cenas de violência inclusive com a apresentação também de arma de fogo.

Que futebol é esse que é dominado por marginais?

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

O pobre futebol de Pernambuco…

PELO BLOG DE JJ

Os balanços dos três clubes da capital pernambucana formaram o retrato da mediocridade de que tomou conta do nosso pobre futebol, que em outros tempos já esteve entre os cinco melhores do país.

Hoje na verdade não somos nada e pouco comentado além de nossas fronteiras.

Aliás sobre esse tema, o jornalista Claudemir Gomes tem um frase interessante ao responder uma mensagem perguntando por alguma novidade, e a reposta é simples: ¨tudo como dantes¨.

Uma verdade pura, nada acontece, nada se transforma e a cada dia estamos nos apequenando.

Lemos o Balanço publicado pelo Náutico e tomamos um choque com os seus números que resolvemos não analisa-lo.

Um clube com mais de 200 processos de cobranças judiciais sem duvida é algo que não permite vislumbrar o seu futuro.

Ficamos pensando qual a razão do time alvirrubro que ainda tem uma razoável demanda, que foi demonstrada nos jogos finais do combalido estadual, chegou ao fundo do poço sem nenhum luz para orienta-lo.

Enquanto isso nós temos uma Federação rica e com times pobres.

Uma contradição inexplicável, e que acontece no futebol brasileiro.

As entidades cartoriais não tem times, mas tem receitas milionárias às custas dos seus filiados.

Obvio que algo está distorcido no sistema vigente.

Pernambuco estancou, o interior é frágil e sem esperanças de um futuro melhor. Com exceção do Central não tem estádios que possam abrigar jogos profissionais.

Não existe o mais importante que é o trabalho de formação, e graças ao Calendário do Circo a maioria hiberna com apenas três meses de competição.

Não existe futuro com tal sistema.

O mais grave de tudo é que os nosso dirigentes estão adormecidos e nada fazem para mudar o modelo existente.

Na verdade irão morrer abraçados quando o navio afundar.

No final da semana os nossos clubes participaram de sete jogos de três divisões nacionais, uma na Série A(Sport), três na C (Náutico, Santa Cruz e Salgueiro) e três na D (Central, Belo Jardim e Flamengo de Arcoverde), conseguiram apenas uma vitória no caso do rubro- negro e um empate do time do Agreste pernambucano.

Não existe uma movimentação para um debate maior sobre os problemas que acontecem, e o mais grave de todos é a falta de um trabalho formador que sempre foi a virtude de nosso futebol.

Hoje os clubes contratam de forma aleatória, abrigando profissionais que perderam espaço nos centros maiores, alguns refugados, e que no final vão embora sem nenhum legado.

De uma coisa temos uma certeza absoluta, de que da maneira que estamos seguindo o futebol de Pernambuco estará em pouco tempo morto e sepultado.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

O Náutico na lanterna…

BLOG DE JJ

O tamanho do nosso futebol está bem retratado nos resultados dos jogos de nossos clubes nas três maiores divisões nacionais.

Embora o Sport tenha vencido o seu jogo, o que apresentou foi digno de uma Segunda Divisão.

O Santa Cruz empatou com o ABC, e o nosso campeão estadual levou um baile na noite de ontem do Atlético Acreano que o derrotou por 1×0, jogando o tempo todo de forma bem superior.

O alvirrubro é o lanterna do seu grupo, e de todo o campeonato.

O futebol apresentado foi de péssima qualidade, desorganizado, sem padrão de jogo, enquanto o adversário apesar da humildade fez uma boa partida, com Eduardo o autor do gol da vitória dando um baile na defesa do Timbu.

No outro jogo, o Salgueiro jogando fora empatou com o Globo-RN por 1×1, e assumiu a vice-lanterna.

Dois pernambucanos nas piores colocações.

Enquanto isso, na Série D, o Belo Jardim empatou em casa por 0x0 contra o Imperatriz, o Central perdeu também como mandante para o Sergipe (0x1) e, finalmente o Fluminense de Feira goleou de forma acachapante o Flamengo-PE por 5×0.

Uma vergonha.

Que futebol é esse?

– O GALO BICOU OS 100% DO CORINTHIANS

* Mais um gol marcado e depois anulado marcou o encontro entre o Atlético-MG e Corinthians.

O tento para o Galo foi de Roger Guedes, vindo de uma bola na trave chutada por Ricardo Oliveira, que segundo o boneco que fica na linha do gol tinha sido levada pela mão do atacante.

Obvio que mais uma vez veio o recado das arquibancadas, desde que o auxiliar só avisou ao apitador que o lance tinha sido ilegal dois minutos após.

Numa tarde de Otero massacrando Cassio, o time mineiro foi bem melhor, e por ironia do destino o gol de sua vitória foi de Roger Guedes autor do primeiro anulado.

O Galo bicou os 100% do Corinthians de forma merecida.

Na famosa Allianz Parque o Palmeiras não conseguiu passar pelo biarticulado que estava à frente da defesa da Chapecoense. Além disso o goleiro Jandrei do time catarinense fez milagres.

Na verdade foi uma pelada.

No Maracanã no final da partida o Fluminense conseguiu o seu gol de empate no jogo contra o São Paulo (1×1). O tricolor paulista continua sem ganhar fora de casa. O time das Laranjeiras foi prejudicado pelo apito amigo de Rodolfo Toski, que não marcou um pênalti escandaloso a seu favor.

Outra partida medíocre e que deu sono.

No Castelão o Flamengo passeou frente ao Ceará, aplicou-lhe um 3×0, e deixou bem claro que o time cearense é um dos mais cotados para a degola.

O jogo mais movimentado, embora o placar tenha sido de 0x0 foi o do Bahia e Atlético-PR, principalmente no segundo tempo quando os dois clubes se soltaram e passaram a chegar nas metas adversárias.

O Furacão com o seu futebol de toques de bola, e o tricolor da Boa Terra na velocidade com os contra-ataques.

No período noturno aconteceu uma pelada milionária, com o empate de 0x0 entre o Internacional e Cruzeiro.

O time Celeste anda mal na fita, e é o 18º colocado com apenas 1 ponto dos nove disputados.

– TORCEDORES DO SADA CRUZEIRO RECLAMAM DA PARCIALIDADE NA TRANSMISSÃO

* A narração do Sport TV na decisão da Super Liga Masculina, que foi realizada no último sábado, no Ginásio Ibirapuera, não agradou a torcida do Sada Cruzeiro.

Nas redes sociais os torcedores da equipe Celeste consideraram que a emissora se mostrou ¨parcial¨ e à favor do Sesi-SP.

As mensagens tomaram conta do Twitter e de repente se tornou o assunto mais comentado nas redes sociais.

As reclamações foram grandes em cima da narração de Sérgio Maurício e nos comentários e Carlão Marcos Freitas.

O interessante é quando estávamos assistindo esse jogo percebemos que tal fato estava acontecendo, que na verdade não é uma novidade nas transmissões esportivas desse canal.

No futebol acontece a mesma coisa.

Narradores e comentaristas apaixonados pelos clubes do eixo Rio/ São Paulo, estão sempre aos seus lados.

No caso do jogo de voleibol a parcialidade era tão escancarada, que o narrador, que por sinal é excelente, deixou escapar ¨que pena¨ com um erro do Sesi-SP. O subconsciente atuou.

Um twitter enviado por Aline Martins retratou tudo que aconteceu no Ibirapuera: ¨Esses narradores quase tem um orgasmo quando o Sesi faz ponto. Já quando é o Sada parece enterro¨. Foi remetido durante o jogo.

Quando o time de Bernadinho joga existe uma comoção geral, e os elogios são sempre para esse, mesmo sendo derrotado como o foi para o Praia Clube de Uberlândia.

Haja paixão. São coisas do jornalismo brasileiro.

Devemos ressaltar que Sérgio Maurício é um excelente narrador, e Marcos Freitas é o comentarista do Sport TV que mais conhece do jogo, mas ambos deveriam deixar em casa as camisas dos clubes do Rio e São Paulo.

Os torcedores do Cruzeiro estavam com a razão.

– IRMÃOS BILIONÁRIOS EMPRESTAM R$ 30 MILHÕES AO BOTAFOGO

* Segundo o jornalista Lauro Jardim, nada como um time de futebol ter torcedores apaixonados (isso é corrente) e ….bilionários (isso é raro).

O Botafogo tem pelo menos dois.

Os irmãos Walter (cineasta) e João Moreira Salles (documentarista e editor), assinaram na última quinta-feira um contrato pelo qual emprestam cerca de R$ 30 milhões ao alvinegro carioca.

Com o dinheiro o clube vai erguer a partir do segundo semestre um moderno Centro de Treinamento em Jacarepaguá, na zona Oeste do Rio de Janeiro.

O terreno de 200 mil m² que já foi comprado, vai abrigar cinco campos de futebol, 120 quartos e piscinas.

É um empréstimo camarada, de pai para filho: o Botafogo devolverá a grana com a venda dos direitos dos jogadores formados no local.

Walter e João ficarão com 20% de cada transação, assim sendo a divida será abatida ao longo dos anos.

O clube da Estrela Solitária sem duvida ganhou na Mega Sena.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

O Banimento de Marco Polo Del Nero…

PELO BLOG DE JJ

Como podemos acreditar em um futebol cujos últimos presidentes da sua maior entidade foram banidos pela FIFA, por corrupção.

Um está preso nos Estados Unidos.

No dia de ontem o órgão máximo desse esporte em uma Nota Oficial comunicou que Marco Polo Del Nero, presidente suspenso, foi banido para toda a vida de qualquer atividade no segmento.

Algo que já era esperado, mas os seus seguidores sempre achavam que esse seria inocentado, esquecendo que as provas colhidas pelo FBI sobre o cartola estavam em poder da FIFA.

Como o Brasil não extradita de forma equivocada os seus nativos, o cartola ficou livre e serelepe por todo esse tempo.

Continuamos com a mesma imagem que muitas vezes assistimos nos filmes americanos, quando os bandidos fogem para o nosso país.

Um trecho da Nota de banimento retrata uma realidade que há anos vem destruindo o futebol nacional, o cupim da corrupção.

¨A investigação contra o Sr. Del Nero foi aberta em 23 de novembro de 2015 e refere-se , ¨inter alia¨, a esquemas em que ele recebeu subornos em troca de seu cargo na concessão de contratos de vários torneios de futebol, incluindo a Copa América, a Copa Libertadores da América e a Copa do Brasil¨.

Enquanto esse manobrava para eleger um sucessor que irá manter o sistema podre do Circo, a Câmara adjudicatória concordava com as recomendações de investigação e considerou Del Nero culpado de ter violado o artigo 21 (Suborno e corrupção), artigo 19 (Conflitos de interesse), art.15 (lealdade) e artigo 13 (Regras Gerais de conduta) do Código e Ética da FIFA.

A decisão foi comunicada ao réu no mesmo dia, e a proibição entrou em vigor.

Quantos artigos postamos no blog sobre o tema, sempre pedindo as autoridades do país uma investigação profunda no Circo do Futebol, e nada acontecia?

A CPI do Senado terminou em Pizza, mas o relatório alternativo foi encaminhado para a Justiça e somente agora é que o STF resolveu separar um deputado federal denunciado, enviando o restante para a Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Quanto tempo perdido, quando o Del Nero mesmo afastado de forma provisória continuou a mandar na entidade, chegando ao limite máximo de antecipar o processo eleitoral para eleger um seguidor fiel para o seu lugar, sobre os aplausos da quase total maioria dos clubes, e de forma integral das Federações.

Chegou o momento em que a Justiça deveria interferir, anulando a eleição, colocando um interventor no Circo, para que possa proceder com uma limpeza total, que deveria também chegar nas federações estaduais.

Enquanto as providencias não são tomadas, a avacalhação do futebol será comemorada na Rússia com a presença dos 27 presidentes das entidades locais e demais convidados.

Sem duvida o futuro presidente é ilegítimo.

São coisas do Brasil.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

Nelsinho jogou muita areia no ventilador na Ilha do Retiro

PELO BLOG DE JJ

A avacalhação começou com um gravação de uma entrevista na Rádio Clube com o dirigente do futebol do Sport chamado de Leonardo Lopes, que não sabemos de onde saiu, que deixou nas suas entrelinhas que o técnico Nelsinho Baptista iria dançar caso o time não saísse vencedor no jogo contra o Botafogo.

Algo que jamais poderia acontecer e uma falta de ética para com o profissional que recebeu o recado dado, esperou a partida contra o alvinegro quando seu time saiu-se bem, e resolveu abrir o jogo numa entrevista coletiva, cujo conteúdo foi finalizado com a comunicação que estava deixando o clube.

Uma atitude tomada de forma pública jogando areia no ventilador, que espalhou-se para todos os lados.

Uma frase dita pelo profissional refletiu a atual realidade em que vive o clube: ¨Não consigo trabalhar com pessoas que enganam todo o mundo¨.

Nada mais, nada menos do que acontece no Velho Leão de 113 anos de glórias e que está sendo destruído graças a um modelo de gestão atabalhoado sem um projeto, e que está levando o clube ao fundo do poço.

Nelsinho deixou bem claro que trabalhou por quatro meses, não recebeu nenhum pagamento dos direitos de imagem, e apenas dois da CLT.

Logo após o encerramento da coletiva o dirigente Guilherme Beltrão pivô do acontecimento entrou na sala e passou a discutir com o técnico, e os seguranças tiveram que interferir, tudo à frente dos jogadores.

Conhecemos o Sport há pelo menos 62 anos, participamos de várias diretorias, inclusive como vice-presidente executivo, e vimos de tudo um pouco, momentos ruins, momentos bons, mas como os de hoje é na realidade um caos.

Enquanto isso, na sede do clube após debates inócuos o seu Conselho que se chama de Deliberativo, que deveria ser chamado de Amém, rezou na cartilha do executivo e aprovou o Balanço de 2017, ou seja assinou sem conhecer um único documento o atestado de óbito do clube.

O futuro irá demonstrar.

Um tsunami passou pela Ilha do Retiro, e somente o presidente do clube ainda não entendeu.

Lamentável, o LEÃO não merece.

NOTA 2- O CRUZEIRO EM CRISE

* Com altos investimentos na temporada, diretoria nova, o Cruzeiro era a bola da vez de nossas mídias esportivas, que os consideravam como favorito ao título.

Ao lermos os jornais de Belo Horizonte as noticias apontam para uma demissão de Mano Menezes, se no dia de amanhã o time tiver um percalço no seu jogo contra o Universidade de Chile no Mineirão pela Libertadores.

Está na terceira colocação em seu grupo: Foi derrotado pelo Racing (4×2), na Argentina, empate sem gol com o Vasco no Mineirão e empate sem gol contra o Universidad de Chile em Santiago.

O time Celeste no Brasileirão está na zona de rebaixamento, com zero ponto e duas derrotas, uma como mandante para o Grêmio por 1×0, e derrota fora para o Fluminense tambem por 1×0.

Essa é a verdadeira cara do futebol brasileiro, quando a dança das cadeiras é a apoteose dos cartolas.

A diretoria do clube cobra resultados positivos ao treinador Mano Menezes. Gastaram uma alta quantia em contratações sem o retorno esperado, com o agravante, a cobrança dos torcedores faz a cartolagem tremer.

Segundo as mídias a folha salarial do Cruzeiro está estimada em R$ 11 milhões mensais, uma das mais altas entre os clubes disputantes.

Na realidade o clube que seria mais forte ainda em 2018 com a nova diretoria, até agora soma fracassos, e a culpa sempre recai na parte mais fraca, que é o treinador.

São coisas do nosso futebol.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

O Belo trucidou o Campeão Pernambucano…

PELO BLOG DE JJ

O Belo da Paraíba não teve pena do fraco Timbu, ao aplicar-lhe um olé que veio junto com o placar de 4×0.

Na realidade o Náutico pensava que era o bam-bam-bam por ter ganho o mequetrefe estadual, e na hora da verdade em dois jogos pela Série C somou apenas um ponto.

Numa competição de 18 jogos na sua fase classificatória um bom começo é fundamental.

O Botafogo-PB foi o dono do jogo durante os seus dois tempos.

Com um futebol mais aplicado, numa excelente noite de Marcos Aurelio que marcou dois gols e deu assistência a um outro, o de Dico, a vitória do time paraibano foi justa, com o direito de um gol antológico de bicicleta de Mario Sergio.

A torcida gritava olé, olé, e o Belo tocava a bola ao som de um violino, quando Walace Pernambucano que não jogou nada cometeu uma falta violenta, e foi expulso pelo arbitro.

O Náutico tem que parar para pensar, e sobretudo entender que o seu time é igual aos demais que disputam a Terceira Divisão, e que poderá sucumbir na competição se continuar jogando de forma desorganizada como aconteceu na noite de ontem, em um Amigão com a maioria dos seus espaços ociosos.

Um papelão alvirrubro.

NOTA 2- UM MINI-BRASILEIRÃO

* O modelo da Copa do Brasil foi dividido em duas fases.

A primeira foi programada para dar o pão e o circo para clubes menores, estipularam boas cotas pelas suas participações, e um obrigado.

Um adeus feliz com dinheiro no bolso.

A segunda foi formatada para a garantir a decisão entre dois clubes que eles chamam de grandes, com a inclusão depois de quatro fases dos que estavam na Libertadores, somados aos campeões da Copa do Nordeste, Copa Verde, e Brasileirão da Serie B.

A competição nas suas oitavas de final tornou-se um Mini-Brasileirão no sistema de mata-mata.

Na verdade onze clubes poderão conquistar o título com apenas 6 jogos, enquanto cinco para conseguirem esse intento jogarão 12 vezes.

Algo surreal, mas como no Brasil de tudo pode acontecer, a Copa do Brasil que já foi democrática tornou-se oligárquica.

Dos 16 clubes que estão na tabela das oitavas, 13 são da Série A, o que transformou a competição em um novo Brasileirão, com caminho mais curto para que o vencedor chegue a Copa Libertadores.

No Nacional os clubes terão pela frente 38 rodadas para conseguirem uma das vagas para o torneio Continental.

Entre os três times restantes, dois são da Série B, Goiás e Ponte Preta, e um da C, Luverdense.

Pela lógica do futebol serão eliminados nessa fase, deixando apenas os maiorais na disputa.

Tudo bem representado conforme o roteiro programado.

São coisas do futebol.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

No Sport é hora de parar e pensar…

PELO BLOG DE JJ

Tudo que foi publicado no caderno de Esportes do Jornal do Commercio sobre a situação do Sport, o nosso blog já tinha analisado e mostrado que os números apontavam para uma grave crise, que só poderá ser contornada no médio prazo através de algumas mudanças no processo da gestão do clube.

Fazemos uma pequena ressalva com relação a queda das receitas de R$ 24.125.140,00, que na verdade aconteceu por conta das luvas da renovação do contrato com a TV que foram pagas no ano anterior, e as alavancaram nesse período.

Sem essas o clube voltou ao seu patamar real.

A atual administração escondeu a realidade. Faltou a transparência.

Se tivesse publicado os balancetes mensais, certamente iria aparecer alguém para chamar a atenção para os seus problemas financeiros. O seu modelo era para cobrir um santo, e ao mesmo tempo descobrir outros, e os recursos sumiram.

O binômio receitas x despesas não foi respeitado. As tentativas de melhoras no futebol levaram o clube ao fundo do poço, por conta de contratações e salários vultosos.

Uma folha salarial que chegou aos R$ 4 milhões mensais, seria obvio que iria abalar as finanças. Em 13 meses (13º), isso representou R$ 52 milhões, ou seja metade das receitas do clube só em salários dos profissionais.

Tornou-se em uma bola de neve.

No meio disso algumas contratações esquisitas.

O alto Passivo Circulante proibiu empréstimos, e resvalou no atraso salariais, como na quitação dos parcelamentos acertados com os cofres federais.

A bola rolava muito mal nos gramados, e pior ainda nos gabinetes dos diretores.

Os impostos deixaram de ser pagos, inclusive com a apropriação indébita de alguns que foram recolhidos das fontes, e que deveriam ser depositados nas contas governamentais.

Tal fato é tratado como crime fiscal.

O ano findou e só quem sabia da situação era o presidente Arnaldo Barros e seus diretores mais próximos.

Hoje a nação rubro-negra está em polvorosa, mas nada de positivo é feito para resolver a situação.

São palavras e mais palavras perdidas aos ventos.

Há anos que sempre repetimos uma frase: ¨O Sport é uma mina de ouro se bem administrado¨, e por conta disso poderá dar a volta por cima, mas para que isso possa acontecer o modelo de gestão atual tem que ser rasgado, um projeto de recuperação implantado, e o afastamento do presidente que é o mais importante para o processo.

Com a atual direção a vaca irá para o brejo.

Para tal necessita de cabeças pensantes, que possam dar o norte em que o clube deverá caminhar.

De uma coisa temos a certeza, se continuar como está, o rubro-negro irá bater no inferno, mudando o rumo chegará no final do ano no purgatório, com um balanço um pouco melhor.

Finanças, Administração e Marketing para a captação de recursos são as bases fundamentais para uma boa gestão, e no Sport esses setores são ineficientes.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online

Go to Top