Por: Alexandre Ricardo/CoralNET

Pela primeira vez neste início de temporada, o técnico Júnior Rocha ganhou alguns dias para ajustar os problemas que sua equipe apresentou nos primeiros jogos do ano.

Depois do empate com o Central na última quinta-feira(25), o Mais Querido só volta a campo na quarta(31), para estrear na Copa do Brasil.

O duelo diante do Fluminense de Feira de Santana/MA marcará o início de outra pequena maratona de partidas, que se prolongará contra o Salgueiro pelo Estadual e termina contra o Treze/PB, na segunda rodada do Nordestão. Três competições ao todo, mas que reúnem a importância de buscar a melhor atuação e garantir as vitórias.

Na Copa do Brasil, a Cobra Coral joga por um empate para garantir classificação à segunda fase e uma providencial cota de R$ 600 mil. Sem vencer ainda em 2017, a visita ao sertão pernambucano também pode ser encarada como uma decisão, já que cada vez mais o clube das três cores vem se instalando na parte de baixo da tabela.

Apesar de ser apenas a segunda rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste, fazer o dever de casa é fundamental para o pensamento em buscar a classificação, num grupo altamente parelho e que já deu indícios de muita luta pelas duas vagas para as quartas de final. Para estar à altura de todos estes desafios, o treinador coral espera ver evolução em muitos aspectos.

Nesse período de tempo, certamente vamos ganhar alguma coisa. De preferência, em todos os sentidos: físico, técnico e tático. Precisamos trabalhar mais forte, o que estamos realizando até o momento não vem sendo suficiente. A intensidade não está sendo o bastante, em alguns jogos somos melhores mas vamos caindo no decorrer, muito pela questão psicológica de conseguir o resultado “, afirmou Júnior Rocha.

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online