Bem sucedido na vida privada e uma das personalidades mais importantes da arbitragem brasileira, o ex-árbitro Salmo Valentim tomou uma decisão que promete movimentar a categoria em 2018: será mesmo candidato à presidência da ANAF.

Com um plano de gestão que promete unir o país valorizando o ser humano, Valentim quer estreitar relações com os poderes para aglutinar forças em benefício da arbitragem.

Com passagem pelo comando do apito Pernambucano, antes de assumir a pasta ele foi também presidente do sindicato dos árbitros em seu estado. Certo de que terá muito trabalho pela frente para implantar a sua filosofia de trabalho, o economista de 47 anos quer propor ações que de imediato causem um impacto positivo na categoria.

A nossa gestão vai priorizar a transparência em cada demanda que for executada. Tudo será público para que os árbitros possam acompanhar as ações da nossa diretoria. Vamos construir uma entidade que valorize o ser humano e atue para que o associado possa sonhar junto conosco”, disse.

Convencido de que precisa montar uma equipe de trabalho que não esteja atrelada ao poder, Salmo garantiu que nenhum membro de sua diretoria executiva ocupará os cargos de instrutor, delegado especial ou terá qualquer vínculo com as entidades que tocam o futebol brasileiro.

É lógico que nós procuraremos de todas as maneiras dialogar com os poderes para encontrarmos o melhor caminho. Mas em relação a essa questão, a minha ideia é a de montar uma chapa de notáveis, pessoas que estejam dispostas a fazer a diferença ao meu lado, sem se atrelar ao poder ou usar a ANAF para fins pessoais”, garantiu.

Acostumado a lidar com pressões, Salmo Valentim embora não tenha tido uma carreira de sucesso como árbitro de futebol, na parte sindical o seu nome é visto como unanimidade em todas as regiões do Brasil. Convicto de que a entidade ao qual pretende presidir precisa corrigir algumas ações para que a categoria compreenda a necessidade de estar unida, o filho do saudoso ‘José Valentim’ promete fazer uma gestão que entrará para a história do futebol brasileiro.

O anúncio oficial da sua candidatura será na pré-temporada dos árbitros de Pernambuco no início de janeiro. Com amplo apoio da cúpula do futebol pernambucano, Salmo deve levar a sede da ANAF para o seu estado, ação prevista no estatuto da entidade que autoriza o presidente a tomar essa decisão.

Preciso estar perto para administrar a pasta com a necessidade que ela exige. Temos muitas ações e decisões a serem tomadas que necessitam de uma gestão mais próxima as demandas da categoria. Vou anunciar a minha decisão durante a pré-temporada em meu estado e partir desse momento, pessoalmente irei rodar o país para que os árbitros me auxiliam a ajustar o meu plano de governo que será utilizado exclusivamente em benefício deles”, destacou.

Apoiado por Marco Martins, atual presidente da entidade, ele pretende dar continuidade as ações acertadas da atual diretoria e corrigir o que não deu certo nos últimos anos.

O que foi feito nesses oito anos merece uma atenção especial da categoria. É evidente que embora você trabalhe sempre para acertar, nem sempre o resultado é o que se espera. A minha ideia é a de manter o que deu certo e ajustar o que não deu, para que a categoria possa desempenhar a atividade em alto nível tanto no seu estado, quanto nas competições nacionais realizadas pela CBF”, contou.

A eleição que definirá quem será o próximo presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol ainda não tem data para ser realizada, mas será em 2018, data em que após oito anos de gestão, Marco Martins entregará a faixa presidencial ao seu sucessor.

(Avozdoapito.com)