Informações Alexandre Ricardo CoralNET

Mais além das mudanças realizadas do lado coral, o jogo no interior de Pernambuco entre Petrolina e Santa Cruz foi bastante movimentado. Com duas expulsões e um pênalti marcado, melhor para a Cobra Coral, que venceu por 2×1 e assumiu a liderança provisória do Campeonato Estadual, com dez pontos ganhos. 

O jogo começou com o Santa Cruz no ataque, que apesar de tentar tomar a iniciativa das ações, mostrava dificuldade com a falta de entrosamento numa equipe bastante mexida. A partida seguia morna, com apenas uma grande chance que caiu nos pés de Pipico, após tabela com Augusto. Na finalização, o camisa 9 acabou mandando para fora. 

Um minuto depois da chance de balançar as redes, o centroavante acabou sendo expulso de maneira direta, depois de disputar bola no alto com Jefferson Petrolina e deixar tanto a perna quanto o braço atingir o adversário durante a queda. Mesmo com um a menos, o Tricolor não se intimidou e foi para o intervalo com o 1×0 no placar. 

Mostrando organização, o time coral teve maturidade para não deixar que o Petrolina ensaiasse uma pressão em busca do empate. Tanto que, aos 15 minutos do segundo tempo, o marcador já apontava 2×0 para o Clube do Povo. Poucos instantes depois do segundo gol, o zagueiro Lucão foi expulso numa forte entrada frontal em Lucas Gonçalves, que partiria para o contra-ataque na sequência de uma roubada de bola.

A partir daí, a partida foi ficando desacelerada. As substituições realizadas e o gol marcado pelo Petrolina na reta final do jogo não foram suficientes para tirar os três pontos do Santa Cruz, que volta para Recife ainda invicto no Pernambucano.

GOLS – O Mais Querido abriu o placar nos acréscimos do primeiro tempo, após ótima jogada de Raphael Soares pela esquerda, que cruzou na medida para Jeremias emendar um forte chute, sem chances para o goleiro Pezão. Quando o relógio marcava 14 minutos da etapa final, Augusto recebeu cruzamento de Cesinha e foi derrubado por Danilo Cirqueira dentro da área. Na cobrança do pênalti, o próprio Augusto bateu com tranquilidade para ampliar a vantagem. O Petrolina diminuiu o prejuízo aos 44, num lance bastante confuso. O zagueiro coral William foi atendido fora do campo de jogo, retornando ao gramado e participando de jogada dentro da área de defesa. O juiz reagiu e apontou que não havia autorizado a volta, marcando tiro livre direto para os donos da casa. No pênalti, Jefferson Petrolina deslocou o goleiro Anderson e fez o primeiro gol da Fera Sertaneja no Pernambucano.