PELO BLOG DE JJ

* Paulo Cesar Caju não tem papa na língua, e quando abre o verbo é para arrasar.

A sua analise sobre a seleção e sobretudo com relação ao técnico Tite é um verdadeiro torpedo.

Segundo o ex-jogador, sua técnica de autoajuda não melhorou em nada, por exemplo, o lado psicológico de Neymar, que até o último minuto tentou ludibriar o árbitro com suas quedas. O Tite psicólogo falhou.

Como uma seleção pode chegar no ponto alto da Copa com tantos jogadores em frangalhos, contundidos? O Tite departamento médico falhou.

Como uma seleção consegue dar 50 passes errados em um jogo tão importante? O Tite fundamentos falhou.

Como uma seleção não tem uma jogada ensaiada, um contra-ataque mortífero, um toque de bola envolvente e coloca o centroavante para marcar como um cabeça de área? O Tite técnico falhou.

Como olhar para o banco de reservas e ver Fernandinho, Renato Augusto e Firmino como as alternativas? O Tite convocação falhou.

A verdade é que o ¨genial¨ Tite falhou além da conta, mas a imprensa continua passando a mão na sua cabeça, e a CBF já garantiu a sua permanência, a do filho, do papagaio até o ano 3000.

Foi a melhor analise sobre o treinador que ia ser campeão do Mundo e falhou.

  • RENATO PORTALUPPI NA SELEÇÃO?

* As mídias sulistas estão fazendo lobby para que Renato Portaluppi seja o técnico da seleção do Circo caso Tite não aceite continuar.

Na realidade o futebol brasileiro não aguenta mais a escola gaúcha de treinadores na sua seleção.

No período de 2002 a 2018, somente em 2006 o técnico não foi do Rio Grande do Sul, no caso Carlos Alberto Parreira.

Em 2010 tivemos Dunga. Caiu com a perda do Mundial.

Foi substituído por Mano Menezes, que não vingou, dando o cargo de volta para Scolari em 2014, o resultado foi o 7×1 da Alemanha.

Em 2018 foi a vez de Tite, e todos vimos no que deu.

Em 16 anos quatro técnicos gaúchos estiveram à frente da seleção, e enterraram a forma antiga de se jogar.

Mais um técnico dos Pampas seria algo destruidor.