PELO BLOG DE JJ

O Atlético Acreano é a surpresa do Grupo A da Série C.

Lidera essa competição por muitas rodadas, e está bem próximo da pontuação necessária para chegar na sua segunda fase.

O time acreano que vem jogando um bom futebol recebe hoje em casa o Santa Cruz com cara de favorito por estar invicto como mandante. São cinco vitórias.

Tem 20 pontos ganhos nos 30 que disputou, 6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, aproveitamento de 67%.

Enquanto isso o tricolor de Pernambuco, é o 4º colocado, com 14 pontos, 3 vitorias, 5 empates e 2 derrotas, aproveitamento de 47%.

Como visitante somou 6 pontos, entre os 15 foram disputados.

Assistimos alguns jogos da equipe do Acre, e entendemos que a sua colocação é justa, por ser o mais organizado no gramado, e contando com um bom elenco.

Pelo seu retrospecto como mandante apresenta todas as condições de conquistar uma vitória.

NOTA 2- A BÉLGICA MOSTRANDO A SUA CARA

* Muito antes do inicio da Copa do Mundo apontávamos a seleção da Bélgica como uma das favoritas ao título mundial.

Quando alguns amigos que estavam participando dos bolões nos perguntavam sobre as chances das seleções, sempre citávamos essa equipe, que amadureceu a melhor geração do futebol mundial dos últimos tempos.

O jogo de ontem contra a Tunísia encantou pelo alto nível do seu futebol.

Joga para frente procurando o gol adversário, e o placar de 5×2 refletiu muito bem o que aconteceu.

Os incautos dizem que o adversário era fraco, mas na verdade quantas seleções que eram consideradas como favoritas caíram perante times menores.

A Bélgica é a nova Laranja Mecânica do futebol mundial, com uma proposta de jogo moderno, bonito, e com a vontade de furar as redes adversárias.

Em dois jogos foram oito gols, numa competição que o 1×0 é uma goleada. Os dois tempos desse encontro com a Tunísia tiveram a mesma intensidade. Não houve desaceleração, e os gols saindo.

O adversário lutando, de forma limpa, sem simulações.

A bola corria no gramado, com os torcedores assistindo um dos melhores times do mundo atuar.

Quando os analistas irão entender que nenhuma seleção tem um grupo como o belga, da mais alta qualidade, e que essa tem todas as condições de chegar à final da Copa e ganhar o troféu?

É só esperar.

NOTA 3- A RESPOSTA DE JUAN CARLOS OSORIO

* Entre cem mexicanos noventa e cinco eram contra o técnico da sua seleção, o colombiano Juan Carlos Osorio.

Tudo por conta do processo de mais de dois anos de experiências, rodizio de jogadores e um 7×0 sofrido contra o Chile em 2016.

A Federação local apoiou o técnico, que classificou o time mexicano para a Copa.

O trabalho apresentou resultados nos dois jogos iniciais, com uma vitória espetacular sobre a campeã Alemanha por 1×0, cujo placar poderia ter sido maior, e um 2×1 com outra boa atuação contra a Coreia do Sul.

O México está a um passo das oitavas e bastará um empate contra a Suécia para ser o líder do grupo F, com um caminho pela frente que poderá leva-lo a fase semifinal.

As mídias queriam a certeza dos 11 titulares e o técnico manteve uma escalação diferente de um jogo para o outro.

Nem uma série invicta de 22 partidas acalmou os torcedores que pediam a sua cabeça.

Como aconteceu no São Paulo, Osório escala o time de acordo com o adversário, desde que o rodizio criava uma boa condição física para os atletas, que para ele não podem jogar três partidas seguidas.

O time chegou à Copa totalmente desacreditado, e o belo jogo contra a Alemanha com uma formação primorosa postada por esse, mudou o sentimento do torcedor.

Aconteceu algo inédito e jamais visto no futebol, com a fila composta por centenas de mexicanos para pedirem desculpas ao treinador que segundo Rogerio Ceni que trabalhou com esse, é um dos melhores do mundo.

A seleção mexicana formou uma excelente geração que deverá fazer uma boa Copa do Mundo.

NOTA 4- A ALEMANHA SAIU DA UTI

* Um resultado sofrido de 2×1 para a Alemanha no seu jogo contra a briosa seleção da Suécia, que não saiu vitoriosa por conta da falta de bons atacantes.

Foi um adversário brilhante em uma partida que teve sangue, suor e lagrimas.

A equipe sueca saiu á frente do placar ainda no primeiro tempo, e teve a oportunidade de amplia-lo.

Uma Alemanha desesperada foi para o vestiário.

Aos quatro minutos do segundo tempo marcou o gol do empate, mas esperou para o último minuto do jogo para desempatar, com um bonito gol de Kross.

Foi um período longo de ataque contra a defesa, de gols perdidos, e o goleiro Olsen fazendo milagres.

O lance que definiu o jogo foi delineado por Kross.

Definido depois de três ameaçadas e um chute de curva, que passou a centímetros das costas de Sebastian Larsson, um dos suecos da barreira e entrou no ângulo da meta adversária.

A seleção da Suécia teve uma penalidade não marcada à seu favor, e abandonada pelo VAR, mas na verdade a vitória alemã foi justa pela garra de um time que lutou até os minutos finais e conseguiu uma vitória que tirou a seleção da UTI, criando chances para alcançar a sua classificação.

Na verdade foi um jogo de arrepiar e com emoções, com lagrimas dos torcedores dos dois lados.