O Náutico segue sua preparação para o inicio da temporada 2019. Alguns jogadores da base serão observados nos treinamentos do profissional. Alguns que completaram idade de profissional e outros que mostraram talento.

O técnico Márcio Goiano conversou com a imprensa sobre a preparação do clube.

Garotos da base se integrando ao elenco profissional:

“Apesar de futebol ser muito resultado, estamos de olho na base e vamos observar vários garotos que estarão trabalhando conosco. Vamos ter calma e tranquilidade com os meninos e tudo tem seu tempo. Historicamente o Náutico sempre revela jogadores. ”

CALENDÁRIO 2019:

“Temos um calendário muito atropelado e apertado no futebol do Brasil. Na europa a temporada começa em um ano e termina no outro. Teremos vários jogos em sequencia no inicio do ano e temos que ter um elenco qualificado. Teremos o Pernambucano, a Copa do Nordeste e Copa do Brasil no inicio e depois teremos a disputa da série C. Temos que ter a sensibilidade de administrar a entrada dos jogadores nessas competições.”

JOGADORES AINDA POR CHEGAR:

“O Jonathan está de contrato renovado, Wallace já está conversado para se reapresentar já que estava em competição e tem direito a férias. Robinho e Luís são jogadores que precisam resolver a parte de contrato para se reapresentar, Sueliton já acertou e vai aparecer dia 07, e espero que todos nós juntos possam ajudar o clube na temporada”

SÉRIE C:

“A série C será um mini-copa Nordeste na verdade. Será uma competição muito disputada em 2019. Você tem 40% para classificar, 20% para cair e o resto para ficar no meio da tabela. O Remo é o maior exemplo. Faltavam duas ou três rodadas, estava caindo e se salvou na última, e não caiu. Vamos tentar iniciar a competição muito preparados”.

SITUAÇÃO DO FUTEBOL DE PERNAMBUCO:

“Temos três clubes de respeito no cenário nacional. Em todas as épocas sempre vemos dificuldades em clubes do Nordeste. Lembro que o Bahia também chegou a 3ª divisão e foi se reestruturando até voltar a série A. Hoje em dia qualquer diretoria de clube recebe muitos problemas de diretorias do passado, e isso acarreta muitas dificuldades.  Tudo passa por organização. Hoje se Pernambuco não tem representante na série A, amanhã pode ter. No caso do Náutico ele tem que estar apenas de passagem pela série C.”