A Fifa já definiu quanto vai pagar aos clubes que cederem atletas às seleções que vão disputar a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Segundo o jornal “AS”, o valor será de 7,083 mil euros diários (cerca de R$ 27,3 mil) por jogador, sujeitos a impostos e deduções.

Presidente da Fifa, Gianni Infantino

Esse valor vem de um total de 180 milhões de euros (cerca de R$ 701 milhões) destinados para pagar esses “empréstimos” por um mês.

O valor é 120 milhões de euros (cerca de R$ 468 milhões) superior ao que foi desembolsado na Copa de 2014, no Brasil, que ficou em 60 milhões de euros (cerca de R$ 234 milhões). A entidade informou que só vai pagar esses valores aos times que assinaram um formulário, onde aceitam os regulamentos da Fifa. O prazo para o envio desse documento foi prorrogado e termina na próxima terça-feira, dia 10 de janeiro. Os montantes estão sujeitos aos impostos correspondentes.

O período para começar a receber esse dinheiro começa duas semanas antes da partida inaugural do Mundial, no dia 14 de junho, até um dia depois da eliminação da seleção a que pertence o seu atleta. Sobre a questão de atletas que são negociados antes do Mundial, os valores serão repassados de um clube para o outro a partir do momento que foi firmado o acordo, segundo das regras da Fifa.

Importante também é a questão de qual clube recebe essa renda, levando em conta que pode ser o caso de um jogador deixar um clube e se inscrever para um novo antes da celebração da Copa do Mundo. É por isso que a circular da FIFA deixa claro que os montantes serão transferidos para o clube ou os clubes em que o jogador convocado para fazer parte de sua seleção foi registrado durante os dois anos anteriores ao dia seguinte à eliminação de sua seleção na fase final.

(Extra.com)