Um jogo de muitas emoções. Ansiedade, euforia, frustração. Raiva, tristeza, alívio. Com um festival de gols perdidos e outro de bolas na rede, o Bahia venceu o Altos-PI, nesta terça-feira (20), por 5×2, na Fonte Nova.

(Betto Jr/CORREIO)

No primeiro tempo, o tricolor teve tudo para não decepcionar o torcedor, mas, por muito pouco, deixou escapar a chance de abrir o marcador. Não foi falta de tentativa, mas de pontaria. Vinícius, Kayke, Zé Rafael e Edigar Júnior chegaram com perigo, mas todos pecaram no mesmo quesito: pontaria.

Inegável que o Bahia tinha maior posse de bola e até chegava mais à frente do gol de Gideão, mas isso não ganha jogo. Apesar de pegar pouco na bola, o Altos se mostrou um time muito perigoso nas duas únicas chances de gol que teve. Primeiro, aos 20, quando chegou a colocar a bola no gol, com Américo, mas o árbitro assinalou o impedimento. Em seguida, com um lindo chute de Marconi, que Douglas espalmou.

Afobado, o Bahia esbarrou na própria euforia e foi para o intervalo ao som de vaias e gritos de “adeus, Guto”.

O Esquadrão voltou avassalador. Tentou uma, duas e na terceira vez, não teve jeito. Brocou. Se Zé Rafael e Edigar não conseguiram, Tiago chegou e fez. Aos sete minutos, o zagueirão cabeceou, a bola bateu nas costas do goleiro Gideão e entrou.

Não deu nem tempo de festejar. Um minuto depois de Kayke perder um gol inacreditável, dentro da pequena área, Marconi tocou para Joélson, que havia entrado no segundo tempo, girar e tocar no canto de Douglas: 1×1.

Ainda deu tempo de Zé Rafael perder outro gol feito antes de vir a virada. Aos 20, após cruzamento, Tiago se embolou com Dos Santos na área e acabou fazendo contra.

De tanto tentar, o Bahia conseguiu desencantar. Após um festival de gols perdidos, um festival de bolas na rede. O tricolor empatou aos 28, com Edigar Junio – já como centroavante -, que aproveitou cobrança de escanteio de Vinícius. No minuto seguinte, mais um. Mais um, Bahia. Após saída errada do time piauiense, a bola sobrou limpa e Edigar, mais uma vez, transformou o que era uma noite perdida em um grito de alegria.

O alívio veio aos 35, quando Vinícius recebeu de Edigar e bateu na saída de Gideão, fechando o placar: 4×2. Pensa que acabou? Não. Ainda deu tempo de Zé Rafael fechar com chave de ouro e fazer o quinto gol, com um chute certeiro de fora da área, aos 48 do segundo tempo.

Para se classificar com uma rodada de antecedência, o Bahia precisa torcer por um tropeço do Náutico diante do Botafogo-PB, quinta-feira (22), às 21h15. O tricolor chegou a nove pontos, enquanto o Náutico tem quatro.

(Correio24h)