Após passar por revisão do Tribunal de Contas do Estado, o edital para estudo de viabilidade técnica, ambiental, econômico-financeiro e jurídico da Arena de Pernambuco será relançado nesta sexta-feira (3).

Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

O documento irá indicar o melhor tipo de licitação para o Governo com o objetivo de encontrar um novo gestor. Empresas interessadas têm até o dia 24 de fevereiro para enviar uma proposta. Após a homologação do resultado e publicação no Diário Oficial, a vencedora terá 180 dias para entregar o material.

Procuramos deixar tudo organizado da melhor e mais econômica forma possível para o Estado. Quem vencer a licitação terá a oportunidade de fazer o estudo de viabilidade e o edital para a licitação internacional que irá escolher a empresa que ficará à frente do equipamento“, disse o secretário de turismo, esportes e lazer, Felipe Carreras.

Esta licitação para a realização do estudo de viabilidade seguirá o modelo de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), previsto no decreto número 43.000, de 2016. Sendo assim, o valor da licitação, R$ 2,2 milhões, será pago pela empresa que vencer a licitação final que definirá a gestora do equipamento. Além do estudo de viabilidade, ao indicar o modelo de licitação para a exploração, manutenção e operação do equipamento, a empresa ainda precisará elaborar o edital para o certame.

A realização de um segundo estudo de viabilidade, após o da FGV, é considerado pelo Estado fundamental, já que este deverá estar atualizado com a nova realidade da Arena de Pernambuco, com nova administração, custos bem mais baixos do que antes de o Governo do Estado assumir e uma realidade econômica nacional diferente da apresentada na época do material anterior. Além de ser mais completo, incluindo o edital para a licitação internacional.

por Renato Torres

mrelaxabuy ortho tri-cyclenarthritisbuy eye drops online