PELO BLOG DE JJ

Ivan Brondi um cidadão acima de qualquer suspeita foi mais uma vítima da autofagia alvirrubra, ao renunciar na tarde de ontem a presidência do Náutico.

Aos poucos essa vai consumindo o que resta do clube, quando engole aqueles que sempre estiveram ao lado de sua história.

Como vice-presidente, Brondi ganhou um presente de grego, a dura responsabilidade de cumprir o restante do mandato da chapa que foi eleita, que duraria até dezembro de 2018, e cujo presidente tinha renunciado.

No seu período existiu pouco apoio para algo que necessitava de uma união, pelo contrário foi realizada uma eleição antecipada de forma açodada e grotesca, criando dois poderes paralelos.

O presidente de fato errou quando acatou, e deveria ter renunciado no momento entregando o cargo ao Conselho para que esse desse o destino conveniente.

Na verdade o Náutico é um clube com um futuro bem discutível.

Desagregado, com ausência dos antigos alvirrubros por conta dessa autofagia, e com alguma experiência que temos em gestão esportiva, podemos afirmar que dificilmente irá sair do buraco que se encontra.

Ivan Brondi não merecia o tratamento que recebeu, e será mais um que irá passar bem longe da Rosa e Silva, como muitos que estiveram trabalhando para o bem do Náutico.

Lamentável.