Tapinhas nas costas, convites para carreatas e festas, nome badalado em todos os programas esportivos de Rádio e Televisão, assim é a vida do dirigente que ganha títulos em todos os locais do Brasil.

O atual presidente do Santa Cruz, Alírio Moraes, viveu intensamente esses detalhes em conquistar títulos pelo clube. Como diria o ex dirigente do Sport (Na década de 90) Manoel Costa, o Costinha, “Ganhar é o céu, perder é o inferno”. Assim está conhecendo os dois lados do futebol o atual presidente coral.

Longe de mim nesse comentário cravar que Alírio é o melhor presidente dos últimos anos do clube, nem o pior dos últimos anos. Resolvi apenas fazer alguns questionamentos sobre a atual covardia que o presidente vem sofrendo. Sim, covardia.

Quem convive os bastidores do clube sabe que a despesa é gigante, que as ações trabalhistas são muitas e que o time de futebol precisa estar bem para o faturamento cobrir as despesas. Entre acertos e erros, o novato no futebol Alirio Moraes, tocou a bola certinho até o momento das inúmeras ações trabalhistas chegarem.

Nesse momento eu sempre falo e falava no Rádio. “Liso não pode ser presidente de clube de futebol. Quando a conta chega o presidente tem que ter la$tro para não se perder no comando“. Alírio teve la$tro além da conta para segurar pepinos que o torcedor nem imagina. Como disse o ex técnico do Santa, Milton Mendes, até o patrimônio pessoal ele botou na mira para saldar broncas do clube.

No futebol Alírio deve ter errado, deve ter acertado, agora querer colocar o cara para Cristo e jogar tudo e todos os problemas para ele, é uma covardia desumana. O tiro amigo vem de gente do próprio clube.

Ser chamado de LADRÃO por parte de integrantes (maloqueiros) de torcida organizada nesta quinta(10) parece ter sido o fim da picada para o mandatário coral. Essa atitude entendemos que é a mais covarde que possa existir no clube.

Para quem não sabe, entre tantos reais já sacrificados do bolso pelo presidente, descobrimos que ele pagou ultimamente do bolso R$ 72 mil para iniciar um acordo da causa trabalhista do ex técnico, Fito Neves, campeão pelo clube 1995. O clube tinha? NÃO.

Como se não bastasse, o presidente disse nessa quinta(10) na reunião do conselho do clube, que vem na base do sacrifício pessoal pagando a conta de luz do clube que custa mensamente R$ 50 MIL.

Que acordem os tricolores.

Tempos atrás um amigo influente do Santa Cruz me disse: “O Santa Cruz deve tanto, tanto, que se toda fortuna de Bill Gates entrasse numa conta conjunta com o clube, por engano, num Sábado, e Bill Gates fosse comprar um Toddynho na segunda, o cartão daria não autorizado“.

Que o futebol do Santa Cruz precisa melhorar todo mundo sabe que precisa, agora, que se respeite e se reconheça os serviços prestados de um cidadão de bem chamado Alírio Moraes.

Ninguém nada para sempre sem respirar.
Apenas minha opinião.