TEMA LIVRE

Perguntas, Dúvidas…

Os Deuses do futebol fizeram de tudo para ajudar o Santa Cruz e não ajudaram o Náutico

0

Pelo Blog de JJ

Os Deuses do Futebol fizeram de tudo para ajudar o Santa Cruz mas não conseguiram.

Os resultados da rodada eram favoráveis ao time tricolor, mas esse está gostando da zona da degola e não quer deixa-la.

Na verdade a equipe coral desaprendeu a ganhar um jogo, mesmo atuando contra o time do Oeste com 10 jogadores no segundo tempo, e com tal situação ainda conseguiu marcar o seu segundo gol, quase complicando a vida do mandante, que empatou nos minutos finais.

Na verdade o Santa Cruz é um time desorganizado que corre atrás da bola, e que vai matar do coração os seus torcedores.

O placar de 2×2 foi justo pela garra do rubro-negro de São Paulo para mantê-lo com inferioridade numérica.

Mais um jogo do tricolor do Arruda sem vitória dentro de casa, e mantendo-se na mesma distância para o 16º colocado (5 pontos), o Guarani, enquanto diminuem os pontos a serem disputados.

O cavalo selado passou pela porta do Arruda, quando o Figueirense foi derrotado, Guarani e Luverdense empataram, abrindo as portas da esperança para o Santa Cruz, que por conta da sua incompetência não conseguiu monta-lo.

NOTA 2- OS DEUSES DO FUTEBOL NÃO AJUDAM O NAUTICO

* Achávamos que o empate seria o placar previsível para o jogo entre CRB e Náutico, por conta de suas performances.

A partida foi bem disputada e decidida pelos goleiros amigos, quando levaram dois frangaços, um para cada lado.

O do goleiro Jefferson do alvirrubro foi mais doloroso, quando o seu time estava à frente do marcador, e esse soltou a bola nos pés de Neto Baiano que empatou a partida, fechando o jogo em 2×2.

O primeiro gol do time visitante foi grotesco, com uma falha de Edson Kolin, goleiro do Colorado alagoano.

A partida foi melhor do que a do Santa Cruz, com muitas emoções, quando o CRB esteve por duas vezes atrás do marcador e conseguiu empatar.

Dois times com pouca qualidade técnica, mas que fizeram um jogo movimentado, com um resultado ruim para ambos.

A equipe pernambucana ficou com 5 pontos a menos do Guarani, que é o primeiro de fora da zona do rebaixamento, ficando a um passo de cair para a Série C Nacional.

Os Deuses do Futebol deram um sinal de que não irão ajuda-la.

NOTA 3- O CEARÁ FOI O VENCEDOR DA RODADA

* A 30ª rodada da Série B foi a responsável por algumas peladas.

Dos 10 jogos realizados seis terminaram empatados.

O único time do G4 que obteve uma vitória foi o Ceará, ao derrotar o forte Paraná pelo placar de 1×0, chegando aos 54 pontos ficando bem próximo do acesso.

O gol vencedor foi anotado no primeiro tempo, e o alvinegro cearense soube segura-lo até o final da partida. Os demais componentes do grupo de acesso empataram os seus jogos.

Foram dois resultados de 0x0, o mais chato do futebol.

O Internacional jogando em Varginha contra um time desgastado por conta da viagem de volta do jogo que foi realizado em Natal, não soube aproveitar e fez a sua pior partida da competição, mas deve ter saído satisfeito por não sofrer uma merecida derrota.

Outro encontro fraco foi o do vice-líder América-MG, que empatou em Pelotas com o Brasil (0x0).

Enquanto isso o time do Vila Nova surpreendeu a todos ao derrotar o Criciúma jogando na casa do adversário. O placar de 1×0 levou o time goiano ao 5º lugar, com dois pontos de diferença para o Paraná (4º).

Quem teve um bom resultado foi o Goiás ao derrotar o Juventude por 1×0, com um gol no segundo tempo. Com a vitória o alviverde goiano subiu para o 10º lugar, com 38 pontos, se afastando da zona perigosa.

Guarani e ABC fizeram uma boa pelada, que terminou com o placar de 1×1, deixando o Bugre na beira da zona da degola.

Em Londrina, o time do mesmo nome passou do ponto mágico para livrar-se de qualquer perigo de descenso, ao derrotar por 1×0 o frágil Figueirense que é um serio candidato a jogar a Série C de 2018.

O último jogo da rodada teve um resultado que afundou o Luverdense ao deixa-lo na zona perigosa, e foi bom para o Paysandu que ganhou mais um ponto e situou-se na 12ª colocação.

Na realidade a rodada foi excelente para Ceará, Vila Nova e Goiás.

A boa vitória timbu, a via Crucis do Santa e o jogo Sport e Atlético/MG

0

PELO BLOG DE JJ

Na última rodada do Brasileirão o Sport enfim quebrou o jejum de nove jogos sem vitória, graças ao apoio e às rezas de Nossa Senhora Aparecida.

Volta hoje ao gramado da Ilha do Retiro, para confrontar-se com o Atlético-MG.

Um encontro do Leão com o Galo.

O rubro-negro pernambucano assumiu a 12ª colocação na tabela de classificação da competição, com 33 pontos, 41% de aproveitamento.

O alvinegro mineiro está na 8ª posição, 37 pontos (45%).

Nas últimas cinco rodadas, o Galo somou 8 pontos entre os 15 que foram disputados (53,33), enquanto o Sport conquistou 4 (26,65%).

No returno o Atlético é o 4º colocado (58,33%). O Sport está na zona da degola com 20,83% de aproveitamento.

Como mandante o rubro-negro é razoável. Está na 12º colocaçao, com 51,2%.

Por sua vez o alvinegro é o terceiro melhor visitante com 56,41% de aproveitamento, vem de uma boa vitória sobre o São Paulo em seu melhor jogo da competição.

Sem dúvida um jogo muito complicado, com chances bem iguais para as três opções, ou seja vitória de um ou de outro, e o empate.

O Atlético-MG está sem o seu melhor jogador, Robinho, e o Sport sem o seu artilheiro que não marca, André Bebezão.

NOTA 2- A VIA CRUCIS DO SANTA CRUZ

* O Santa Cruz segue na sua via crucis sem conseguir sair do buraco onde se meteu.

Ingressou na zona de rebaixamento e não consegue sair, e pela sua pontuação mesmo vencendo o seu próximo jogo irá continuar nessa.

Na tarde de ontem enfrentou a frágil equipe do Figueirense, e foi derrotado pelo placar de 2×1.

Uma vitória que foi conseguida apenas no primeiro tempo, desde que no segundo a equipe catarinense estava caindo pela tabela.

O tricolor começou bem a partida e nos enganou.

Logo caiu no marasmo e permitiu que o adversário tomasse conta do jogo e fizesse o placar favorável.

Na segunda fase com os jogadores do alvinegro sem condições físicas a equipe do Arruda melhorou, mas com pouca inspiração para chegar ao gol do rival.

Na realidade assistimos uma grande pelada com uma tarde chuvosa, com dois times fracos, de pouca qualidade e o placar final foi mais pelos erros do Santa Cruz, de que pelas virtudes do Figueirense.

Até quando o técnico Marcelo Martelotti irá escalar Grafite?

NOTA 3- DEU A LÓGICA E O NÁUTICO VENCEU

* Se Lisca resolver os problemas do time do Guarani será canonizado pele Papa Francisco.

A equipe campineira montou um cavalo paraguaio que parou na reta final da competição. É desorganizado e com pouca noção do coletivo.

Por outro lado, embora vestido de uma pobreza técnica franciscana, o Náutico tem uma melhor formatação.

A presença do novo treinador no vestiário do Bugre de nada adiantou e mais uma derrota para complicar a sua vida.

O Náutico não jogou bem, o segundo tempo foi trágico, mas soube aproveitar as oportunidades que surgiram e resolveu o placar, que no final terminou em 2×0.

O alvirrubro chegou aos 26 pontos, oito a menos do que o adversário de ontem, e animou os seus torcedores, mas na verdade sair da zona do rebaixamento é muito complicada por conta da sua performance.

Pela tabela de classificação o número mágico para a fuga da degola é de 45 pontos, e para que a equipe pernambucana consiga chegar a tal patamar terá que ganhar 19 em 27 que ainda serão disputados, ou seja, 70% de aproveitamento para quem tem apenas 30%, e ainda os rivais estancarem.

Como diz o antigo ditado, quando existe vida há esperança, o Náutico deve continuar jogo a jogo lutando por seus objetivos sem alimentar sonhos aos seus torcedores.

NOTA 4- O CEARÁ ESTÁ PRÓXIMO DO ACESSO

* O Ceará realizou uma partida perfeita para anular o Oeste em seu jogo na noite de ontem jogando como visitante.

A equipe da cidade de Barueri não conseguiu repetir as suas últimas partidas, por conta da tática do adversário, que jogou com uma dura marcação, e na espera dos contra ataques, fato esse que aconteceu no segundo tempo, quando o placar de 1×0 foi conseguido.

A vitória levou o alvinegro cearense aos 51 pontos, consolidando-se na 4º colocação, com 4 pontos á frente do Vila Nova, o 5º colocado.

As chances do Ceará cresceram com relação ao acesso, e pelo que o time vem apresentando isso irá acontecer.

Enquanto isso, o Vila Nova apesar de ter dominado o Goiás, não saiu do 0x0, distanciando-se um pouco do grupo do acesso.

No Independência, o América-MG sofreu para ganhar do Luverdense, mas conseguiu retornar a sua consistência anterior com duas vitorias seguidas, chegando aos 54 pontos, e reassumiu a sua vice-liderança, aproximando-se do acesso.

Em Natal após 11 jogos seguidos sem vitória, o ABC enfim achou um pato morto, o BOA, derrotando-o pelo placar de 1×0.

Uma rodada perfeita para o Vovô cearense.

Futebol de Pernambuco está sem lenço ou documento…

0

Pelo blog de JJ

O futebol de Pernambuco caminha sem lenço ou documento, e nada de novo nas mãos. Tudo continua como dantes.

Não temos uma entidade que pense em algo melhor e positivo para esse esporte, pelo contrário usa e abusa de várias pirotecnias como forma de promoção.

Oferecer dinheiro para os atletas do Náutico para que o time possa se livrar da degola é algo fora de proposito, e com pouca repercussão. A não ser em nossa mídia juvenil.

Lemos no blog de Claudemir Gomes um artigo sobre o Santa Cruz e a sua chapa para as eleições previstas para o final do ano, ou seja com os mesmos nomes, o mesmo grupo e o mesmo banco no jardim, que levaram o clube ao fundo do poço.

Será a mudança do seis por meia dúzia, e a confirmação da ausência de uma renovação.

Por outro lado, o Sport também trocou o fraco por um mais fraco, e os problemas continuaram. Foi uma renovação pelo avesso, desde que as portas fechadas do clube impediram um processo de mudança.

O Náutico vem sofrendo com gestões equivocadas, com uma divisão interna grave, e quando surgiu o que representava o novo esse não conseguiu leva-lo para outros caminhos.

O momento atual do clube é o reflexo dos erros acumulados há um bom tempo, com dois presidentes em um só ano.

O século XXI tem sido trágico para o futebol de Pernambuco, que tornou-se um mero figurante no cenário nacional.

Nos tornamos o nada dentro do nada.

Foi criada uma cultura de que não é preciso planejar para obter bons resultados.

Um grande pecado mortal, visto que se os clubes não entenderem a necessidade de reformulação e sobretudo, profissionalização de suas administrações para que obtenham resultados sustentáveis ao longo do tempo e terão como resposta a decadência ou o fim.

As agremiações se fecharam através de grupos dominantes que não permitem mudanças, nem o surgimento de novas cabeças pensantes. Essas são alijadas do processo.

O clube é uma empresa com acionistas e deve ser administrada como tal, com razão e lógica e sobretudo sem emoção. Uma administração planejada prepara o futuro, e no caso do futebol, dará condições de sobrepujar os tropeços ocasionados pelas pedras do caminho.

As sedes dos clubes são habitadas por fantasmas, não existe sinal de vida, o associado foi esquecido totalmente e perdeu a sua relação com esses, e com isso a nova geração de dirigentes não é formada.

Teremos amanhã o Dia das Crianças, e perguntamos, qual a entidade que programou uma festa dedicada aos filhos dos sócios?

Vamos dar um exemplo pessoal, começamos no Sport numa escolinha de voleibol, depois participamos das competições estaduais.

Começamos a ter uma identidade com o clube, e isso nos levou aos diversos cargos da diretoria, inclusive no futebol. Uma escola que foi abandonada pelo novo sistema implantado, que não permite uma renovação.

Os nossos clubes tem que repensar os seus futuros. Procederem com uma análise real e traçarem os seus novos objetivos, e o retorno do associado às suas casas é fundamental.

Deveriam esquecer de tudo que está sendo feito e que não deu certo, fazer um recomeço, que parte da reestruturação dos seus quadros diretivos e a profissionalização de todas as suas áreas.

As vaidades devem ser deixadas de lado, que os dirigentes não vejam o clube apenas com interesse de uma promoção pessoal, e sim, como uma grande coletividade formada por seus sócios e simpatizantes.

Ou mudam ou irão morrer sem lenço ou documento.

A última foto da série B

0

PELO BLOG DE JJ

O domingo não contemplou futebol no Brasil por conta da seleção do Circo que está jogando nas eliminatórias para a Copa do Mundo que será realizada na Rússia em 2018.

Os gênios que fazem o futebol brasileiro poderiam ter alocado alguns jogos importantes da Série B mas não pensaram nisso.

Daria uma maior visibilidade aos clubes. Não o fizeram e no último sábado essa competição encerrou a sua 28ª rodada, o que representa 73,6% do total dos jogos programados.

Um fato bem interessante está nos resultados, com 80% de vitórias dos mandantes, e 20% dos visitantes, ou seja o fator casa influenciou de forma decisiva.

A grande novidade na tabela de classificação foi a da aproximação do OESTE ao Grupo de Acesso (5º), com apenas um ponto de diferença para o Ceará (4º).

Aliás já tínhamos chamado atenção para esse clube, que completou oito partidas sem derrota, e com três vitorias consecutivas.

O seu próximo encontro será definidor, quando jogará em casa contra o time cearense, que também vem com uma excelente competição, com 5 jogos seguidos de forma invicta.

O Vila Nova como já tínhamos previsto em nossas análises teve uma queda, está colocado na 6ª posição, dois pontos de diferença para o Ceará, mas as suas chances matemáticas ficaram bem reduzidas.

O G4 não sofreu nenhuma modificação na sua composição por conta das vitórias dos quatro locatários, Internacional, América-MG, Paraná e Ceará.

Pelos nossos cálculos das probabilidades matemáticas, o Colorado tem 99,9% de chances de obter o acesso, o Coelho de Minas Gerais subiu para 93%, o time Paranista com 92% e o Vovô cearense com 46%.

O maior salto foi do Oeste que passou a ter pela primeira vez mais de 40% (43%). A luta pela quarta vaga será entre os dois clubes, desde que o rubro goiano teve as suas chances bem reduzidas (10,2%) e o Juventude caindo para 9%.

No inverso da tabela, na parte de baixo, o número de candidatos ao rebaixamento foi diminuído desde que Paysandu e CRB saíram com vitórias de seus jogos, e fugiram do carrasco.

Dos quatro times que estavam na zona da degola anterior apenas o Luverdense conquistou uma vitória, os outros três foram derrotados (Santa Cruz, Náutico e ABC).

Dois estão virtualmente rebaixados, o alvirrubro de Pernambuco e o alvinegro de Natal. O primeiro voltou ao patamar anterior com 97% de chances para ser degolado, o segundo com 99,999%, ou seja são dois falecidos.

A campanha do Náutico embora tenha melhorado no returno é fraca.

Como mandante tem um aproveitamento de 38,10%, e 16,67% como visitante. No returno tem 33,33%.

A sua diferença para o 16º colocado aumentou para 11 pontos, o que representa quase três jogos, entre dez que serão disputados.

As duas vagas restantes serão disputadas cabeça á cabeça por cinco clubes.

Guarani (26%), Goiás (14%), Luverdense (12%), Figueirense (52%) e Santa Cruz (76,5%).

A atual situação da equipe tricolor está estampada nos seus números, e com um agravante pela diferença de cinco pontos para o primeiro time de fora da zona de rebaixamento. Dois jogos.

Como mandante é o 16º colocado (45,24%), como visitante está na 17ª posição (23,81%), no returno é o 18º (22,2%).

Há quatro jogos que não conhece uma simples vitória.

Pelo andar da carruagem o tricolor do Arruda e o alvinegro de Santa Catarina, irão fazer companhia ao ABC e Náutico.

Os números não mentem, a não ser que aconteça um milagre.

Quem acompanha o blog sabia que isso iria acontecer.

Lamentável a situação do futebol de Pernambuco.

Sport no Z4 e a situação dos clubes de Pernambuco na série B

Pelo Blog de JJ

Com direito a uma faixa com a frase ¨Bem-Vindo¨, produzida pelos ocupantes da famosa zona da degola, Avaí, Coritiba e Atlético-GO, o Sport enfim chegou ao lugar que vinha pedindo por um bom tempo, e de forma justa e merecida. Sem contestação.

Após a vitória da Ponte Preta por 1×0 sobre o Flamengo na noite de ontem, o velho Leão da Ilha foi empurrado para a 17ª colocação na tabela de classificação do Brasileirão, como responsável pela porta principal do inferno.

Nenhuma surpresa, desde que os nove jogos sem uma misera vitória prepararam esse caminho.

O seu returno beira ao grotesco. Jogou sete partidas e somou apenas dois pontos, por conta de dois empates e cinco derrotas, marcando apenas 1 gol e levando 12, com 9,52% de aproveitamento.

Uma campanha de time rebaixado.

Com relação ao jogo no estádio Moises Lucarelli, o milionário time do Flamengo ficou afastado do G6 da Libertadores, por conta de um futebol medíocre que o levou a uma derrota no seu encontro contra a Macaca campineira.

A 26ª rodada do Brasileirão foi encerrada com mais uma pelada de várzea, como a maioria de seus jogos.

A vitória da Ponte foi justa pela vontade de ganhar no segundo tempo quando abriu o placar e ainda perdeu um pênalti defendido pelo goleiro do rubro-negro da Gávea, Diego Alves.

A equipe de Campinas fugiu da zona do rebaixamento, passando o bastão para o time do técnico Vanderlei Luxemburgo, aquele que era sem nunca ter sido.

A torcida leonina teve uma noite de sofrencia.

NOTA 2- A RADIOGRAFIA DA SÉRIE B

* A Série B entrou na reta final faltando apenas 11 rodadas para o seu encerramento.

Os resultados dos jogos da 27ª rodada, deixaram de forma clara que cinco clubes disputarão as três vagas que restam para o acesso ao Brasileirão de 2018. As chances do Oeste são remotas.

O Internacional embora não esteja ainda garantido, de forma virtual já está nessa divisão maior, e o América-MG que teve uma queda no returno, hoje sente a pressão de três clubes que poderão ultrapassa-lo, embora as chances ainda sejam bem elevadas. Mudou um pouco o cenário para o time mineiro.

A diferença do 6º, o Juventude para o Coelho é de 3 pontos.

Na realidade teremos boas emoções até a chegada ao Photochart.

A maior luta será aquela contra o rebaixamento, e com exceção do ABC que já está degolado, e do Náutico que tem percentuais remotos de escapar da queda, do 11º, Brasil de Pelotas, ao 18º, Santa Cruz, são oito clubes que poderão estar entre aqueles que irão participar da Série C de 2018.

As diferenças entre esses são reduzidas.

O Goiás que é o primeiro de fora dessa zona perigosa, tem a mesma pontuação da Luverdense (31), e dois pontos a mais do que o Santa Cruz (29).

O time de Lucas de Rio Verde (17º) dista do Brasil de Pelotas (11ª) com apenas 3 pontos, o número real de uma rodada.

A situação dos clubes de Pernambuco é preocupante.

O Santa Cruz necessita ganhar 15 pontos em 33 a serem disputados, aproveitamento de 45%, quando tem no returno um percentual de 25%, quase a metade dessa necessidade.

Terá seis jogos como mandante, mas um que poderá ser a foice do carrasco para um dos dois disputantes, que é o encontro local contra o Náutico. Poderá ser um abraço de afogados.

Enquanto isso o alvirrubro tem a necessidade de 20 pontos entre os 33 em disputa, 52% de aproveitamento, bem longe do atual geral (28%) e do returno 37,50%. O Náutico tem apenas cinco jogos como mandante, o que reduz a sua capacidade de somar mais pontos.

Contra números não existem argumentos, e as estatísticas ajudam a entender a situação e projetar as previsões, e no momento temos um grau razoável de que os dois clubes locais poderão ser rebaixados, e com 100% para que um já esteja garantido.

NOTA 3- OS CONFRONTOS DOS TIMES PERNAMBUCANOS NA SÉRIE B

* Para que os torcedores do Santa Cruz e Clube Náutico possam fazer as suas contas, o melhor caminho é o de estudar todos os confrontos que restam para o fim do Brasileiro.

O tricolor terá 6 jogos como mandante, e cinco como visitante.

Jogando em casa receberá o América-MG (28ª rodada), Oeste (29ª), Luverdense (30ª- confronto direto), Náutico (33ª- confronto direto), Paraná (36ª) e Juventude (38ª). Nada fácil.

Como visitante enfrentará o Figueirense (29ª- confronto direto), Brasil de Pelotas (31ª- confronto direto), Vila Nova (34ª), BOA (35ª) e Paysandu (37ª- confronto direto).

Com relação ao alvirrubro da Rosa e Silva, esse terá cinco jogos em casa e seis fora.

Como mandante irá enfrentar o Guarani (29ª- confronto direto), ABC (31ª-rebaixado), Paysandu (34ª- confronto direto), Londrina (35ª), Vila Nova (37ª).

Visitará o Goiás (28ª- confronto direto), CRB (30ª- confronto direto), Juventude (32ª), Santa Cruz (33ª-confronto direto), Criciúma (36ª), e Luverdense (38ª- confronto direto).

O tricolor do Arruda tem 48,72% de aproveitamento como mandante, 23,08% como visitante, e 25% no returno.

O alvirrubro tem 38,1% como mandante, 17,95% como visitante e 37,50% no returno.

Basta proceder com os cálculos para que se tenha uma ideia real do que poderá acontecer.

NOTA 4- AS PROBABILIDADES DO ACESSO E DESCENSO NA SÉRIE B

* De acordo com as projeções efetuadas, levando-se em consideração vários critérios tais como jogos em casa e fora, confrontos diretos e os atuais percentuais, após a 27ª rodada os resultados obtidos são os seguintes:

ACESSO

INTERNACIONAL- 99,4%, AMÉRICA-MG- 81%, PARANÁ- 79%, CEARÁ- 37%, JUVENTUDE- 35%, VILA NOVA- 34% e OESTE- 12%.

DESCENSO

BRASIL DE PELOTAS (14%), GUARANI (13%), PAYSANDU (12%), LUVERDENSE (21%), GOIÁS (23%), FIGUEIRENSE (38%), CRB (40%), SANTA CRUZ (63%), NÁUTICO (90%) e ABC (99,9%).

NOTA 5- NÚMERO DE VITÓRIAS PARA ESCAPAR DO REBAIXAMENTO

* Um fato bem interessante está relacionado ao número de vitórias necessárias para escapar da degola na Série B.

Na era dos pontos corridos com vinte participantes à partir do ano de 2006, somente em três campeonatos os clubes conseguiram escapar com menos de 13 vitórias.

Nos demais quem não alcançou esse patamar foi degolado. Em 2013 o time do Atlético-GO passou raspando com 12 vitórias e oito empates. No ano de 2015 o Oeste escapou com apenas 10 vitórias, mas houve uma compensação através de 14 empates.

O mesmo fato foi repetido em 2016, quando o rubro-negro de Barueri só conseguiu 8 vitórias, e salvou-se por conta de 17 empates. O número mágico de então foi de 41 pontos. Na atual competição esse continua sendo de 44, com o risco sério de desempate pelos critérios técnicos

O Náutico e o grand Canyon…

PELO BLOG DE JJ

Há um bom tempo que estamos alertando os alvirrubros sobre o destino do seu clube.

Ano, após ano, a sua situação vai se deteriorando, e pelo andar da carruagem o Náutico está se afundando no abismo profundo do Grand Canyon, quase impossível de conseguir uma saída.

O mais recente episodio envolvendo a agremiação com o seu time sub-17, é nada mais, nada menos, do que a aceleração do processo de apequenamento que tomou conta do clube da Rosa e Silva.

O fato mais grave que deve ser destacado, é que os alvirrubros parecem que não perceberam o que vem acontecendo na vida da entidade, e não sentiram os problemas que estão advindo que com certeza o levarão por um caminho tortuoso e sem volta.

A vergonha na Copa do Brasil de Sub-17 em não colocar um time com número legal para iniciar a partida demonstra como anda a sua gestão.

Embora longe do Recife recebemos bem cedo a notícia através do amigo jornalista Claudemir Gomes, que nos enviou a Nota Oficial publicada pela diretoria executiva, que na verdade não justificou o injustificável, desde que se não tivessem atletas para a competição, deveriam com antecedência solicitar a sua saída, e não protagonizar algo que deslustrou mais a sua história, e na presença do adversário, Atletico-MG.

Qual a imagem do Náutico que o time mineiro levou?

O futebol de Pernambuco que já está na UTI há um bom tempo, teve mais um fato constrangedor que irá piorar a sua doença, que segundo os médicos é terminal.

Jogar a culpa na diretoria anterior serviu apenas para encobrir o erro crasso e grotesco que foi cometido, ou seja o de tentar registrar jogadores para a competição sem o devido tempo hábil.

Qualquer gestor esportivo que conheça a burocracia que existe para tal fim, saberia que isso não iria acontecer, e deu no que deu.

Na Nota Oficial a diretoria alvirrubra afirma que o clube voltará a ser formador e revelador de talentos e ocupará o seu espaço.

Trata-se de algo correto e que representa o futuro de qualquer agremiação, mas demandará um longo tempo, e até lá ninguém poderá dizer qual o seu destino final.

O Náutico perdeu uma geração de possíveis torcedores, que estavam iniciando a sua escolha por um time de futebol à partir dos 10 anos, que buscaram aqueles rivais que estavam em maior evidência, e tal fato é uma perda irreparável, e que abalou a sua vida financeira.

Os torcedores desapareceram, no atual Brasileiro da Série B é o 13º colocado no Ranking de bilheteria, com uma media de 3.612 por jogo.

Poder-se-ia dizer que isso só está acontecendo por conta da péssima campanha que o time está realizando, mas o São Paulo desmente essa teoria, quando está na segunda colocação nesse segmento no Brasileirão, colado no Corinthians que é o líder da competição, enquanto esse continua na zona da degola.

Na realidade desde 2004 que o alvirrubro não ganha um titulo, mesmo o estadual, e sem vitórias, sem troféus, serão menos simpatizantes, que produzem um efeito cascata que bate em suas finanças, e finalmente chegou ao Grand Canyon quando está na beira do rebaixamento para a Série C.

O problema do clube é a sua divisão autofágica, onde os grupos se digladiam enquanto esse sofre.

Ou os alvirrubros se unem, ou teremos em pouco tempo um novo América que na década de 50 era um dos nossos grandes clubes, e que hoje sobrevive através dos herdeiros da família Moreira, e conta apenas de uma torcida que não chega a 100 pessoas.

Ou todos acordam, ou então o Timbu vai para o abismo, e com ele uma rica história do futebol de Pernambuco.

É proibido ser correto no Brasil…

PELO BLOG DE JJ

CALOTEIROS FUTEBOL CLUBE

* Alexandre Morais que foi Ministro da Justiça de Michel Temer, e por conta disso ganhou um belo presente ao ser indicado para a vaga de Ministro do STF, com uma liminar acabou de fundar um novo clube, o Caloteiros Futebol Clube.

Atendendo ao pedido de um desses partidos que só os componentes conhecem dentro desse sistema da esculhambação geral da política nacional, e que tem um deputado que faz parte da diretoria do Circo, considerou inconstitucional os artigos do Profut que determinavam punições aos clubes inadimplentes, sob a alegação de que esses tem autonomia, esquecendo que essa palavra não se chama anarquia.

As clubes adimplentes, que sempre agiram corretamente, certamente foram apunhalados por conta disso.

No Brasil existe uma norma proibindo ser correto.

O Circo foi o grande responsável pelo pedido, comemorou com alegria a morte de uma Lei de que pelo menos estava propensa a moralizar o esporte, fato esse que é difícil de acontecer por estarmos em um país que prende os honestos e premia os corruptos.

NOTA 2- A RAZÃO DA DECADÊNCIA DO FUTEBOL DE PERNAMBUCO

* O caderno esportivo do Jornal do Comércio publicou ontem, uma boa matéria sobre as contratações dos clubes de Pernambuco, trio de ferro como é chamado pela imprensa juvenil, e que na verdade é um belo trio de lata.

Não precisa ir muito longe para a descoberta da decadência de nosso futebol, que está ligado em boa parte as suas péssimas gestões, que contrataram em uma única temporada 92 atletas, sem retorno.

Os três lutam contra o rebaixamento em suas divisões.

O Sport foi o que trouxe o menor número, um time completo e ainda com seis reservas (17). Tem profissionais que sequer estrearam.

E o futebol no gramado continua pequeno.

Por outro lado o Santa Cruz contratou 37, três times e mais quatro reservas. Sete desses não atuaram ainda com a camisa do clube.

O retorno é bem negativo, com o clube próximo a zona da degola.

Enquanto os rivais se divertiam, o Clube Náutico para não ficar na lanterna batia um recorde com 38 atletas contratados, 3 times e mais cinco reservas. Três ainda não vestiram a camisa alvirrubra.

Apesar disso o time comprou uma cadeira cativa na zona da degola de sua divisão nacional.

Os números atestam a insanidade que tomou conta de um esporte que sempre teve um trabalho de base destacado, e que de repente abandonou-o para trazer caminhões de jogadores, em boa parte sem espaço nos maiores centros.

Os agentes agradecem.

Os resultados mostram o tamanho do erro cometido, desde que sem a continuidade de um elenco as dificuldades são bem maiores para o alcance dos objetivos traçados.

Fazem contratações sem conhecimento do assunto, assistem ao DVD editado pelos agentes dos jogadores, ficam entusiasmados com o que assistiram, e concretizam as negociações.

Há algum tempo escrevemos que a maior alegria de nossos cartolas é o da apresentação de novos contratados nas famosas e ¨educativas¨ entrevistas coletivas.

O futebol de Permambuco hoje é um nada sobre nada, fato esse que é reconhecido até por quem não acompanha esse esporte.

Outro fator que mostra a falta de um planejamento para o futebol está representado pela dança das cadeiras, com 11 mudanças na temporada, e mais um recorde do Náutico, com 5, seguido pelo Sport e Santa Cruz com três cada um.

Essa é a cara do pobre futebol pernambucano.

NOTA 3- TRÊS CLUBES NORDESTINOS PRÓXIMOS DA SÉRIE B

* Os resultados dos jogos de ida pela segunda fase da Série C, foram animadores para três clubes de nossa região, que ficaram com plenas chances para conseguirem o acesso para a Segunda Divisão Nacional.

O Sampaio Corrêa derrotou como visitante o Volta Redonda e deixou uma porta bem aberta para o jogo de volta no Castelão.

O Fortaleza que há cinco temporadas bate na trave, partiu na frente em seu encontro contra o Tupi que foi realizado em Fortaleza, no Castelão, derrotando a equipe mineira por 2×0, conseguindo uma boa folga para o segundo encontro.

Finalmente o CSA que subiu de divisão nesse ano também escancarou a porteira ao bater o favorito Tombense-MG por 2×0 jogando na casa do adversário, e ficando perto de comemorar a conquista de um novo acesso em casa.

O único Nordestino que não obteve o sucesso, foi o Confiança que foi derrotado como mandante pelo São Bento de São Paulo.

Sem duvida tais fatos são importantes para a região, que deveria ter um projeto de ocupação da Série B, para que possam sonhar um dia com a maior divisão nacional.

O Nordeste deverá perder uma vaga, que será coberta por três.

Devemos ressaltar a boa participação do Esporte Interativo que está transmitindo os jogos, que é ótimo para uma divisão abandonada por todos.

SEM NOÇÃO! – Pelé cobra R$ 1 Milhão para comparecer a homenagem na cidade que nasceu

PELO BLOG DE JJ

O jornalista Ancelmo Gois publicou uma noticia referente a Edson Arantes do Nascimento, o Pelé do futebol brasileiro.

Segundo Gois, a Prefeitura da cidade mineira de Três Corações construiu um museu para homenagear esse seu filho mais ilustre.

O Prefeito fez um convite ao famoso Pelé para a festividade de inauguração, e quem respondeu foi Edson pedindo R$ 1 milhão para comparecer ao evento.

Obvio que os cofres públicos não poderiam arcar com um pagamento como esse, e assim desconvidou o convidado.

Como um cidadão nasce numa pequena cidade do interior, que deseja homenageá-lo através de um museu com detalhes sobre a sua vida, e esse pede dinheiro para comparecer?

Que tipo de comportamento é esse?

Lamentável.

Sport na lanterna do returno

Pelo Blog de JJ

O returno do Brasileirão com apenas quatro partidas é o inverso do turno, que tinha nessa mesma rodada a Chapecoense como líder, o Corinthians no 2º lugar, Grêmio em 3º, e Coritiba em 4º.

O time do Parque São Jorge mesmo na vice- liderança, conquistou uma pontuação igual a que o Avaí obteve nesses quatro jogos da segunda fase.

No final do Turno o G4 pela ordem, estava composto pelo Corinthians, Grêmio, Santos e Palmeiras.

A pirâmide foi invertida após o encerramento da 23ª rodada na noite de ontem, com o Avaí que estava no grupo dos rebaixados no turno, na liderança isolada do returno, contando com 10 pontos ganhos, e um aproveitamento de 83,3%, igual ao do alvinegro do Parque São Jorge no encerramento da 4ª rodada inicial do Brasileirão.

Coincidências.

Além desse fato a equipe catarinense completou a sua terceira vitória nesse período inicial, e mais um empate, marcando 4 gols e sofrendo apenas 1, que serviu para tira-lo do sufoco, saindo do perigo para a 14ª posição.

Mesmo estando na zona do perigo para a degola, a diretoria manteve o técnico Claudinei Oliveira, cujos frutos já estão sendo colhidos.

Enquanto isso o atual líder geral somou apenas 3 pontos, com 3 derrotas, sendo duas seguidas. Para um clube que passou 19 jogos sem perder é algo que mostra uma queda vertiginosa na sua produção.

Apesar desses últimos números o alvinegro continua com uma boa folga no comando da tabela, e a razão de tal fato está por conta da pontuação do seu mais próximo rival, Grêmio, que está na 16ª colocação no returno, com os mesmo pontos ganhos pelo líder (3) que é o 18º nessa tabela.

Ambos com um real aproveitamento de rebaixados, com 25,3%.

O Santos que também poderia ter aproveitado essa queda corintiana teve um médio aproveitamento nos 4 jogos de 50%, 6 pontos ganhos (9º colocado). O mesmo aconteceu com o Flamengo, e de forma um pouco mais grave com relação ao Palmeiras, no 11º lugar, com 5 pontos (41,7%).

Na realidade os números mostram de forma clara que os principais adversários do líder do Brasileirão não tiveram o menor interesse na aproximação, com a preferencia em outras competições.

Os fatos não mentem, e a tabela ficou amarrada.

O G4 do returno após a sua 4ª rodada tem o Avaí como líder com 10 pontos (83,3%), seguido pelo Botafogo, 9 (75%), Cruzeiro, 7 (58,3%) e Atlético-MG, 7 (58,3%). Vitória e Vasco tiveram a mesma pontuação.

A zona de rebaixamento nesse curto período tem o Chapecoense em 17º (3 pontos), Corinthians, 18º (3), Coritiba (2) e na lanterna o Sport com apenas 1 ponto e aproveitamento de 8,31%.

Uma pirâmide totalmente inversa, quando observamos que os três primeiros clubes que apresentam menor pontuação no returno, na mesma rodada (4ª) do turno lideravam.

O Sport nessa ocasião ocupava a 15º colocação com 4 pontos ganhos, um pouco melhor do que a atual, 12ª.

Um retorno ao começo.

O clube da Ilha do Retiro surpreendeu ao terminar a primeira etapa com uma colocação que enganou os analistas, a 5ª posição, e em apenas 4 jogos desceu a ladeira, ao conquistar apenas um ponto dos 12 que foram disputados.

Na realidade o time parece ter um comando com pouca sintonia com o elenco, embora apoiado pela diretoria e o reflexo se dá no gramado com um time sem alma, sem a graça de jogar futebol, errando feio nas escalações e nas substituições durante os jogos, inclusive sacrificando um jogador que sequer está na lista dos profissionais do clube, Bruno Xavier que foi lançado às feras no encontro contra o Avaí.

Continua perdendo tempo com alguns jogadores, e em especial com uma defesa que não consegue subir meio metro do chão.

Nunca na história do nosso futebol assistimos uma renovação com um treinador em queda, a não ser que essa tenha sido uma pirotecnia para prestigia-lo e intimidar os jogadores.

Se isso aconteceu foi mais um tiro na pata do velho Leão.

O RETURNO DA SÉRIE B

* Alguns amigos alvirrubros que acompanham o blog diariamente nos mandaram várias mensagens sobre a postagem publicada ontem, em que abrimos a possibilidade do Náutico fugir da degola.

Essa nossa posição é baseada em números reais não aleatórios, e que mostram o crescimento do clube na relação com os seus rivais que estão na mesma luta.

Obvio que tais possibilidades existem, e os números confirmam, mas tudo dependerá principalmente da sua performance como visitante, que é fundamental para que as portas sejam abertas.

As quatro rodadas que foram realizados no returno da competição mostraram uma nova realidade que poderá se consolidar.

O G4 do acesso tem a presença do Paraná no 1º lugar com 83,0% de aproveitamento, seguido pelo Internacional com 66,67%, Criciúma (66,67%) e América-MG (66,67%).

Observa-se que apenas dois desses clubes estão no grupo maior da classificação geral.

Se os números forem realmente consolidados, Vila Nova ou Ceará poderão ser atropelados pelo equipe paranista, que terminou o turno com 47,37%, ou seja em quatro jogos quase o dobrou no returno.

Com relação ao caso do Náutico, esse terminou a primeira fase com um aproveitamento de 24,56% dos pontos que foram disputados. Na segunda o seu crescimento dobrou para 50%, enquanto alguns dos times rivais tiveram uma queda.

O Paysandu caiu de um percentual de 40,35% para 33,33%, Goiás reduziu muito a sua performance de 40,35%, para 16,67%, Santa Cruz terminou o turno com 40,35% e nos quatro jogos realizados na segunda fase teve uma queda para 8,33%, ABC que está quase rebaixado, desceu mais a ladeira, de 28,07% para 8,33%, o mesmo aproveitamento do tricolor do Arruda

No tocante aos números relacionados ao Luverdense e Figueirense, esses também tiveram crescimento, com o primeiro evoluindo de 35,09%, para 58,33% e o segundo de 35,09, para 41,67%.

O clube da Rosa e Silva conseguiu a segunda maior evolução entre os clubes que lutam contra a degola, só perdendo para a equipe de Lucas do Rio Verde, suplantando os demais.

Baseado nesses detalhes é que as projeções foram realizadas e todas acenam para a possibilidade do Náutico conseguir ultrapassar a sua atual situação.

Não será fácil, mas não pode ser considerada como impossível, desde que o clube lute para aumentar os seus percentuais como mandante, e principalmente evoluir na participação nos jogos como visitante.

Considerando-se o ponto mágico da fuga como 44, para não ter decisão pelos critérios técnicos do regulamento, o alvirrubro necessita conquistar 24 pontos em 45 a serem disputados, com um aproveitamento de 53%, um pouco maior do que o que vem acontecendo no returno.

Serão sete jogos em casa e oito fora, que poderão resolver o assunto.

De uma coisa temos a certeza, a de que um dos dois clubes locais será degolado.

É preciso incentivar a arbitragem feminina no Brasil

Por Salmo Valentim…

Não é novidade que eu sou um entusiasta de que as mulheres alcancem cada vez mais espaço no futebol. Mas para falarmos da arbitragem feminina precisamos primeiro voltar na história recente da arbitragem brasileira.

Embora seja um esporte genuinamente praticado, em sua maioria, por homens, o futebol se modernizou e hoje em qualquer setor, inclusive no esporte, as mulheres estão cada vez mais conquistando o seu espaço.

Na década de 90 Pernambuco revelou ao país a lendária Maria Edilene Siqueira, minha conterrânea que apitou Mundiais da FIFA e fez, pela primeira vez da história aqui do estado, um clássico de tamanha envergadura como Sport x Santa Cruz, na Ilha. De lá pra cá muitas mulheres surgiram no futebol nacional, entre elas a paulista Silvia Regina de Oliveira. Quem não recorda dos inúmeros jogos importantes que a Silvia fez?

Mas não podemos falar da arbitragem feminina sem citar uma de suas maiores vitrines. Com uma qualidade técnica irretocável, a ex-auxiliar Ana Paula Oliveira durante muitos anos desfilou o seu talento pelos gramados do Brasil. E fez muito. Trabalhou em competições internacionais e até hoje é referência para as jovens que estão chegando e sonham trilhar o seu caminho de sucesso no futebol.

Estar no campo de jogo comandando uma partida não é fácil. Mas pra estar ali, o profissional de arbitragem seja ele homem ou mulher, precisa passar por uma série de avaliações, entre elas a que deixa muitos sonhos pelo caminho: a física.

Até meados da década de dois mil as mulheres faziam o índice feminino nas avaliações nacionais, e atuavam em jogos masculinos. Porém com a modernidade do futebol, isso ficou no passado e hoje para atuarem em qualquer competição oficial masculina, é justo que essa profissional alcance o índice padrão masculino.

Eu não sou especialista em educação física e não posso dar um parecer técnico sobre isso, mas como estudioso do esporte, sou contra o teste físico e explico: acho que poderíamos ter outras formas de avaliação para saber se o árbitro (a) está preparado para atuar. Estipular uma meta e medir em curtos espaços a taxa do percentual de gordura é uma delas. Se o sujeito não treinar e não se dedicar, ele vai engordar. Então é preciso estar sempre atento para que isso não ocorra.

Tenho por hábito assistir muitos jogos todas as semanas e tenho percebido um ligeiro aumento da arbitragem feminina no Brasil. No Pará, por exemplo, o quadro cresceu 30% nos últimos anos. Tenho conversado com algumas escolas e os dados são semelhantes. Há sim no Brasil uma procura interessante de mulheres por cursos de arbitragem. Isso para o desenvolvimento do futebol é excelente.

Enquanto Presidente da Comissão de Árbitros de Pernambuco eu incentivei a arbitragem feminina. O nosso quadro hoje tem uma das melhores árbitras do Brasil, a Débora Cecília. Profissional dedicada que está preparada para atuar em qualquer jogo do Campeonato Brasileiro.

Gostaria de deixar aqui uma sugestão à Comissão Nacional que incentive a arbitragem feminina no Brasil e quem sabe, consiga colocar uma árbitra na elite do futebol brasileiro. A última a conseguir tal feito foi a Silvia que até hoje trabalha de maneira incansável, em São Paulo, para que isso ocorra.

Como costumo dizer: foi-se o tempo em que a mulher era o chamado “sexo frágil”, e lugar de mulher, amigos, É AONDE ELA QUISER!

Até a próxima!

Go to Top