TEMA LIVRE

Perguntas, Dúvidas…

O abismo de pontos entre o campeão e o lanterna do campeonato Brasileiro

1

PELO BLOG DE JJ

As diferenças nas pontuações do campeão do Brasileirão com os que ocupam as lanternas são pornográficos, e comprova o profundo abismo que existe nessa competição.

Por outro lado, os lanternas sempre são as equipes pequenas e sem uma maior expressão.

Raras são as exceções.

Como sempre os números dão uma visão da realidade, e estão assim delineados:

2006- SÃO PAULO- 78 pontos – SANTA CRUZ- 28 – (-50 pontos),

2007- São Paulo- 77- América-RN- 17- (-60),

2008- São Paulo- 75- Ipatinga- 35- (-40),

2009- Flamengo- 67- Sport-31- (-36),

2010- Fluminense- 71- Barueri-28 (-43),

2011- Corinthians- 71- Avaí- 31 (-40),

2012- Fluminense- 77- Figueirense- 30 (-47),

2013- Cruzeiro- 76- Náutico- 20 (-56),

2014- Cruzeiro- 70- Criciúma- 28 (-42),

2015- Corinthians- 71- Joinville- 27 (-44),

2016- Palmeiras- 80- América-MG- 28 (-52) e,

2017- Corinthians- 72- Atlético-GO- 36 (-36).

Os números mostram uma linearidade tanto para os times campeões, como para os lanternas, com pequenos desvios em poucos anos.

Vanderlei Luxemburgo: “Eu ainda tenho uma coisa para cumprir no Brasil”

0

Tivemos duas grandes seleções, o mundo ficou espantado, em 70 e 82. Serviu de referência para o mundo, um futebol moderno, com características ofensivas. Só a nossa camisa tem cinco estrelas. E só o Brasil jamais deixou de disputar uma Copa. O mundo nos reverencia e bate continência para nós. E nós achamos que não. Começamos a querer encontrar fórmulas que não são as nossas, colocando simplesmente o que seria moderno dentro das nossas qualidades. Vejo tudo isso com muita preocupação, times robôs, jogando praticamente todos iguais, sem dribles, jogadas de efeito, de habilidade, sem técnica, em cima de um plano tático. Isso é modernidade? É isso que queremos para o futebol brasileiro?

Jogador não pode ser refém de esquema tático. Cabe a nós fazer um planejamento para o futebol brasileiro, um projeto nacional, para que possamos voltar às nossas raízes. Não temos trabalho nenhum voltado para o nosso futebol, em todos os sentidos, em todas as categorias. Não se faz mais projeto com campos de futebol como nas várzeas de antigamente. Não há projeto em cima de absolutamente nada. Nós temos a obrigação de olhar aqui pra dentro.

Estive essa semana na CBF dando curso para treinadores, da licença Pro, e fiz uma pergunta simples lá: se alguém conhecia tática individual. Ninguém me respondeu, porque, aqui no Brasil, a tática é coletiva, a única preocupação é com números. Tática individual é o que aprendi com ex-jogadores de futebol, que é fundamento tático da sua posição. Como funciona uma cobertura do zagueiro ao lateral; quando o volante entra como zagueiro para recompor… É o discernimento tático da sua posição. Daí, vamos passar para a tática coletiva, montada em cima disso. É muito importante a formação de um ex-jogador para passar isso à frente. E não fazemos isso, o que é preocupante.

Estamos robotizando nossos jogadores, deixando o nosso futebol feio. A grande referência do futebol brasileiro sempre foram os atacantes e os camisas 10. E qual camisa 10 temos hoje? Aonde eles estão? Por que acabamos com o camisa 10 no Brasil? A seleção do Tite, que fez uma grande eliminatória, um trabalho excelente que tem sido realizado, deve ganhar a Copa da Rússia ou a do Qatar. A geração é boa. Mas temos que ver como será após 2022, o que virá. Que jogador, tirando o Arthur, do Grêmio, foi revelação nesse Brasileiro? Isso preocupa. A cada ano que passa esse número diminui.

A receita de mudança na Alemanha não serve para o Brasil. A receita de mudança na Espanha não serve para o Brasil. Nós temos que ter uma receita própria, de fazer o futebol aqui dentro. Barcelona e Real Madrid, por exemplo, contratam os melhores jogadores do mundo e colocam pra jogar. Não se usa a base, a “cantera” como chamam lá. As pessoas veem esses clubes como uma referência de trabalho uniforme, das categorias de base até o profissional, com um modelo de treinamento definido. Só que nenhum dos dois aproveita direito o jogador formado na base. É difícil um jogador deles chegar e se tornar multicampeão. Essa coisa do brasileiro de enaltecer esses grandes nesse aspecto é um erro, é mentira. Não abastecem o time profissional como nós sempre fizemos aqui.

Vale a reflexão

Zico apoia campanha de Natal da LBV que ajudará milhares de famílias brasileiras

0

Arthur Antunes Coimbra, mais conhecido como Zico, recebeu, com muita simpatia, no Centro de Futebol Zico, zona oeste do Rio de Janeiro, a equipe da Legião da Boa Vontade (LBV) para gravar um vídeo institucional e fotografar para a campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!

Zico é um amigo de longa data da Instituição e ressaltou a alegria de contribuir com a campanha:

“(…) Já estou com a LBV há muitos anos, desde que comecei com a Seleção Brasileira. A gente sempre procurou dar a nossa colaboração. Quando eu era garoto, tinha um tio que foi da LBV e contava tudo, frequentava lá. [A Legião da Boa Vontade é] uma Entidade que procura sempre ajudar as famílias, ajudar as pessoas que necessitam. Todo mundo colabora, e comigo não seria diferente. É um prazer estar aqui, receber vocês, ajudar de alguma forma. Quero parabenizar e agradecer a todos aqueles que participam dessa campanha em benefício dos que precisam”.

Ao final do bate-papo, ele retribuiu os votos de Feliz Natal e Ano-Novo em nome de todas as famílias atendidas pela LBV: “Um ótimo Natal a todos, um 2018 cheio de paz, de alegria, tranquilidade e sem fome!”

A iniciativa tem como meta arrecadar e entregar um milhão de quilos de alimentos, em cestas, no mês de dezembro, beneficiando mais de 50 mil famílias em situação de pobreza, atendidas ao longo do ano pela LBV e por organizações parceiras.

Você também pode colaborar contribuindo com alimentos não perecíveis ou acessando www.lbv.org/natal para fazer uma doação! E visite nossas redes sociais para acompanhar sua colaboração: Facebook (LBVBrasil), YouTube (LBVBrasil), Twitter (@LBVBrasil) e Instagram (@LBVBrasil).

Pés no chão…

0

PELO BLOG DE JJ

América-MG, Ceará e Paraná estarão participando da Série A de 2018, que é sem duvida um outro patamar quando comparada a Série B.

O trio está saindo de um navio cargueiro para um transatlântico onde irão viajar em uma cabine mais simples.

Embora as suas receitas serão ampliadas, mas na verdade ficam bem longe das necessidades.

Lemos uma entrevista do presidente do tricolor paranista, e esse declarou que o projeto do clube é o dos ¨pés no chão¨, gastar com racionalidade e com contratações que venham para jogar e não para somar em quantidade.

Esses clubes irão lutar contra o efeito sanfona que acontece todos os anos, e o Coelho Mineiro é uma de suas vitimas, desde que em todos os seus acessos na era dos pontos corridos, caiu no primeiro ano.

O clube é como uma empresa seja ela grande, média ou micro, mas existe um ponto de ação para todos, que é o de gastar mais do que se arrecada.

Aliás esse é o maior mal do futebol brasileiro, quando alguns querem andar de Ferrari quando não tem o dinheiro para a gasolina.

Boa parte dos clubes que disputaram o Brasileirão encontram-se com problemas financeiros, inclusive o campeão Corinthians, com salários atrasados.

É a realidade de nosso futebol.

Existe um excelente livro sobre esse tema, escrito pelos consultores financeiros, André Massaro e Conrado Navarro, com o título ¨Dinheiro é um santo remédio¨, e que deveria ser o de cabeceira de nossos dirigentes.

Segundo os autores, o equilíbrio financeiro é apenas uma relação neutra ou positiva entre o dinheiro que entra e o dinheiro que sai.

Isso é o que sempre discutimos em nosso blog.

A maioria dos problemas financeiros da humanidade sumiria de uma hora para outra, se as pessoas passassem a observar e seguir uma única regra em suas vidas: viver conforme suas possibilidades.

Uma regra simples e elementar que se aplicada nos clubes, esses não estariam com o pires nas mãos, por conta da extrapolação dos limites financeiros.

O endividamento se dá por conta do desequilíbrio financeiro, quando causa perda de reservas, dando lugar aos empréstimos.

O problema de nossas entidades sócio-esportivas está relacionado ao amadorismo das gestões.

Os dirigentes são movidos pela paixão, incapazes de observarem que a sobrevivência dessas está relacionada ao equilíbrio financeiro, e passam a gastar mais do que entra em seus cofres, inclusive com a perniciosa antecipação de receitas, que não é permitido mas continua a acontecer.

O futebol hoje é um grande negócio que não pode, nem deve, ser gerenciado por amadores, e sim por profissionais competentes, com uma boa leitura de economia, que possa ser utilizada nas gestões.

O nosso conselho aos três novos participantes do Brasileirão, é que esses tenham seus pés no chão, e que visitem a cidade de Chapecó para aprenderem como um clube de pequeno porte, que sofreu uma tragédia que está completando um ano, continua firme e forte, bem nas competições em que atua, e principalmente com débito zero em seus balanços.

Futebol de Pernambuco está peneirando água…

Andei pensando ultimamente no que foi, e no que está sendo o futebol de Pernambuco nos tempos atuais. Desde 1990 (Quando entrei profissionalmente) no futebol local fiz uma reflexão de tudo de bom que eu vi, e tudo de ruim que acontece atualmente.

Entre acertos e erros cheguei a conclusão que o futebol local está peneirando água.

REFORMULAR:

Clubes de Pernambuco tem que urgentemente reformar o departamento de futebol. Dirigentes tem que fazer uma reflexão que foram um fracasso em 2017. Se continuar do mesmo jeito vai peneirar água até cair novamente de divisão. O Sport é o maior exemplo. Tem dinheiro, condições mas errou demais na condução do elenco. O Náutico só vive com briga entre só dirigentes, e o Santa Cruz está virando clube de dono. Sempre os mesmos voltam.

INTERIOR:

Falei semana passada ao vivo para Rádio Asa Branca de Salgueiro.

O futebol do interior de PE definha porque vive de favores políticos. Estádios de prefeituras com políticos (às vezes) que não sabem nem o que é um pênalti”.

Reza a lenda que depois de muita insistência, amigos e torcedores conseguiram tirar um prefeito (Bancava o campeonato) de casa, num Domingo, para assistir a final do campeonato da cidade.

Mesmo contrariado, o polÍtico foi ao estádio. Chegando lá com a bola já rolando, perguntou quanto estava a partida.

Rapaz responde: “0X0, Prefeito...”  E o prefeito respondeu perguntando…: “Já está 0x0 ?”

MAGRÃO E DURVAL:

Se os Deuses do futebol salvarem o Sport, irão salvar também o final de carreira de Durval e Magrão. Prestes ao encerramento de carreira, um rebaixamento marcaria muito negativamente os dois.

Principalmente pelo rendimento. Falhas absurdas serão lembradas nessa temporada.

Ah, claro que sei que são ídolos eternos. Mas torcedor é momento.

NOVO PRESIDENTE DO NÁUTICO:

Edno Melo (Novo presidente) terá pela frente desafios desumanos no comando do clube. Arrumar verba (Perdeu a da série B), pagar contas, montar elenco e unir o clube politicamente.

Sem o último quesito ele não conseguirá se sustentar no primeiro quesito. Entendeu né?
Boa sorte pra ele.

PERNAMBUCANO 2018:

Nunca imaginei em pensar, cogitar ou falar isso, mas…
Meu encantamento pelo estadual está acabando. E acho que muita gente já pensa igual.
Dói meu coração em falar isso.
Se acabar não fará falta. E olhe que sou do interior.

SPORT:

Cuidado com jogador engana trouxa.
Jogador que passa 10 meses entre DM e mordomias, mamando sem jogar, e na reta final começa a correr e jogar bola, não me engana.
Tá querendo novo contrato para enganar os trouxas de plantão.
Olhem o custo beneficio.

Na Ilha tem um desse correndo como se fosse atrás de um novo contrato de come e dorme.

O NÁUTICO É UM CLUBE RICO E LISO:

Como pode isso?
Simples…

PATRIMÔNIO: Um terreno valoroso no bairro dos Aflitos e um GIGANTE CT.
Qualquer empresa de visão construiria um estádio no CT em troca de empreendimentos nos Aflitos.
Todos ganhariam e o Náutico muito mais. Ficaria com um estádio e suas rendas e teria ainda percentual fixo da parte dos Aflitos.

ESTÁDIO DOS AFLITOS:

Quando escuto alguém falar que o Náutico é forte nos Aflitos fico buscando na memória algum título do clube lá. Não lembro, não foi do meu tempo.
Voltar pra lá tendo espaço no CT para um estádio, na nossa visão é um absurdo.
É só pensar, negociar e construir.

ELEIÇÃO NO SANTA CRUZ:

Antônio Luiz Neto na nossa opinião parte na frente como favorito.
Porque ?
É simples a resposta.
Oposição forte é aquela unida. A do Santa tem 2 candidatos dividindo os votos e fortalelecendo a urna da situação.

SOBRE FLUMINENSE X SPORT:

Cada um que tenha seu sentimento.
A minha opinião como profissional é que o Sport não vence, mas…
Acredito que o FLU não venha com faca nos dentes.
O problema do Sport é o próprio Sport.
Tomara que vença e fique vivo. O torcedor Rubro Negro merece melhor sorte. O futebol do Nordeste também;

COMPETENTE, PROFISSIONAL, VITORIOSO E GENTE BOA:

DEU BRONCA:

Observações:
Comunidade do FLA revoltada com o treino do Sport no CT do Urubu.
Presidente do FLA rebate os revoltados: “Não vejo problema nisso. Todo mundo sabe que o FLA é o campeão de 87

Todo mundo ?
Os advogados do FLA parecem não saber e insistem em querer dividir o título que eles não quiseram entrar em campo.

SÉRIE A – Tudo embolado no Z4

Pelo blog de JJ

No encerramento da 36ª rodada do Brasileirão, o grupo que está na luta contra a degola embolou.

Nos dois jogos que foram realizados na segunda(20), o Fluminense escapou da zona perigosa, com uma vitória por 2×0 contra a Ponte Preta, deixando a equipe campineira numa situação perigosa.

No outro encontro, a zebra passeou na Ressacada, quando o Avaí pulou da pedra do IML, ao derrotar o Palmeiras por 2×1. Saiu vivo e serelepe.

Com essa vitória o time catarinense ainda pode sonhar com a sua permanência na Serie A de 2018, já que empatou em pontos com o Sport e Ponte Preta (39), e ficou com um a menos do que o Vitória o primeiro de fora do Z4.

A competição esta numa verdadeira embolada do finado Manezinho Araújo, e no próximo domingo os jogos desses times serão decisivos.

O Sport enfrentará no Rio de Janeiro um Fluminense mais tranquilo, que deseja melhorar a sua pontuação por conta dos prêmios do Circo, e para amainar o relacionamento com a sua torcida que vaiou o time no jogo de ontem apesar de ter vencido.

Em Campinas um confronto direto entre a Ponte Preta e Vitória, no chamado jogo de quem perder morre, e finalmente o Avaí, que joga mais uma vez em casa, contra o Atlético-PR que sonha com um vaguinha na avacalhada Libertadores.

O rubro-negro da Bahia tem 45% de chances de ser rebaixado, a Ponte Preta, 79%, Sport, 83%, Avaí, 88%.

As emoções do Brasileirão estarão na luta contra o fogo do inferno.

O fundamental para esses jogos será sem duvida a arbitragem, que não poderá ser amiga de ninguém.

NOTA 2- O BANHO DO FUTEBOL CEARENSE

* O Nordeste poderá perder dois clubes participantes da Série A, Sport e Vitória que ainda estão na luta contra a degola.

Por outro lado o estado de Pernambuco assistiu dois dos seus clubes serem rebaixados para a Série C Nacional, Náutico e Santa Cruz.

Enquanto isso o futebol cearense mostrou pujança com o acesso do Ceará para a divisão maior do futebol nacional, e com o Fortaleza voltando para a Série B após chegar perto por muitos anos.

Além desses dois clubes, assistimos o retorno do Ferroviário, clube tradicional, como vice-campeão estadual, e hoje se organizando para a disputa da Série D.

Tais fatos mostram bem que a gestão do futebol do Ceará melhorou, enquanto a de Pernambuco se estrambelhou nos últimos anos.

A presença do Vovô cearense no Brasileirão é salutar, desde que trata-se de um clube de massa, com bom público em seus jogos, que deram um banho nos pernambucanos.

O Ceará na Série B tem uma das melhores medias do ano entre todas as divisões. Somou 334.546 pagantes, com uma média por jogo de 18.586. Só ficou atrás do Internacional.

O tricolor do Pici jogando na Série C, totalizou 218.099 pagantes, com uma média de 18.121 por jogo, e disparado no primeiro lugar.

Para efeito de comparação com o nosso falido futebol, o Sport na Primeira Divisão tem uma média de 12.923, muito inferior dos clubes cearenses.

Com relação aos públicos dos dois times que disputaram a Série B, foi um verdadeiro 7×1.

O tricolor teve uma média de 4.341 pagantes por jogo, e o alvirrubro com 2.729.

Pobre futebol pernambucano.

Futebol de Pernambuco é uma humilhação total!

Pelo blog de JJ

O futebol local está chegando ao final de sua participação na Série B ajoelhado pedindo perdão, com os seus clubes nos últimos lugares da tabela.

O rebaixamento já foi vergonhoso, e esse novo fato é humilhante.

O ABC ao derrotar o Oeste, além de tirar-lhe sonho do G4, empurrou o Santa Cruz que foi derrotado pelo Paysandu por 4×2, e o Náutico que deixou escapar o empate no seu jogo contra o Vila Nova que o derrotou pelo placar de 2×1.

Com tais resultados finais, o tricolor passou para a vice-lanterna e o alvirrubro retornou ao seu aconchego na lanterna da competição.

Apenas 286 testemunhas assistiram a derrota do velho Timbu.

O futebol de nosso estado nos envergonha.

Vive o mais trágico momento de sua história.

Por outro lado, antes do último encontro da rodada entre o Criciúma 1×1 Ceará, faltando apenas uma para o final da competição, essa acabou de verdade, com a definição que estava faltando, em relação aos quatros times que ascenderam, restando apenas a disputa do título entre o América-MG e Internacional.

O América-MG empatou na bacia das almas e com sofrimento com o Londrina que dominou o jogo, com o goleiro Fernando Miguel do time mineiro fazendo milagres, mas o placar foi fechado em 0x0, tirando qualquer chance do time paranaense de chegar ao G4 do acesso, por conta de uma vitória sofrida do Paraná no Rei Pelé, contra o ABC por 1×0, garantindo assim a sua classificação e a do Ceará.

Em Goiânia, o Internacional venceu o Goiás por 2×0, e com chances reais de disputar o título com o América-MG ns última rodada.

Um dos piores campeonatos da Série B, mequetrefe, está chegando ao seu final dentro da lógica do futebol, com o acesso dos quatro menos piores, e o descenso dos quatro mais piores.

Quanto ao estado de Pernambuco, as palavras que temos a escrever são as seguintes:

POBRE FUTEBOL DE PERNAMBUCO, FALIDO, DESMORALIZADO, SEM EIRA NEM BEIRA, ENTERRRADO NO PARQUE DAS FLÔRES.

NOTA 2- SPORT E O RISCO DA DEGOLA NA RODADA DE HOJE

* Se o Bahia não estivesse lutando por uma vaga na Libertadores e por um prêmio mais gordo, poderia se pensar que o time que iria enfrentar o Sport seria misto, para ajudar a derrubar o rival Vitória, fato esse que aconteceu algumas vezes no futebol baiano.

Teremos o inverso, posto que com uma vitória contra o rubro-negro da Ilha do Retiro, e combinado com uma vitória do também rubro-negro da Bahia, que joga contra o Cruzeiro, o tricolor ajudará o rival, mandando o Sport para a Série B de 2018.

A situação do Leão é muito frágil, desde que não depende apenas do futebol e sim da queda de terceiros, no caso a Ponte Preta e Vitória. Com uma derrota no jogo de hoje, e um desses rivais vencendo os seus jogos, esse estará se despedindo da competição por conta da pontuação que só poderá chegar aos 42 pontos, e com um saldo de gol negativo bem maior.

Devemos ressaltar que os adversários das equipes do Vitória e Ponte Preta são difíceis de roer, Cruzeiro e Fluminense, tanto quanto o adversário do Sport.

O Bahia após a contratação do técnico Paulo Cesar Carpegiani, teve uma grande evolução. Seus números são excelentes.

No returno está em 4º lugar, com 54,17% de aproveitamento. Nos últimos 10 jogos, o tricolor lidera, com 63,33%. Nos últimos 6 somou 14 pontos, de forma invicta (77,7%).

Os números apresentados pela equipe da Ilha do Retiro mostram que essa terá dificuldades de conquistar uma vitória no encontro de hoje.

Lanterna no returno, com 1 vitória e 16,67% de aproveitamento. Nos 10 últimos jogos é o 19º colocado (20%). Nos últimos 6, conquistou 1 ponto (5,5%).

As chances de rebaixamento do Leão é de 94%, ou seja está com as chuteiras dentro da Segunda Divisão.

As crianças estão se afastando do futebol…

 

Estou certo que o futebol virou matéria prima de tv.

Acabaram também com a festa que era a entrada do times em campo… Não há mais saudação a galera, não há mais bandeiras deflaudadas.
Nao tem mais a galera da geral.
Ninguém mais vai pra galera, e até a comemoração do gol o jogador é punido.
Estádios vazios…
Emoção esvaziada.
Gente que nunca bateu nem pelada comandando clubes e federações. O preço a ser pago será alto pois as crianças estão com outras opções.

Pronto calei.

Situação do Sport no Z4 é grave!

PELO BLOG DE JJ

O Palmeiras fez de tudo para ajudar o Sport, mas os seus jogadores como são perdedores não aproveitaram o presente, perdendo quatro chances de gol cara a cara com o goleiro adversário.

Deu no que deu.

A torcida alviverde não gostou do comportamento do time na fase inicial e o vaiou no final.

A pressão funcionou.

No segundo tempo a situação da partida modificou-se quando o time do Parque Antarctica passou a dominar a partida, e atropelou o Velho Leão com o placar grotesco de 5×1.

A vitória do Palmeiras era previsível, não uma goleada acachapante.

O rubro-negro só não teve a situação piorada, por conta da derrota do Vitória perante a Chapecoense, que o segurou na 16ª colocação, com a mesma pontuação da Ponte Preta, e três a mais do que esse.

Dos três clubes que estão na luta contra a degola, a posição do time da Ilha do Retiro é a mais grave por ter os adversários mais difíceis, e dos 9 pontos que serão disputados, no caso de uma improvável vitória contra o Bahia, que está evoluindo jogo a jogo, a pontuação servirá para que possa juntar-se a Ponte Preta e Vitória, caso esses não obtenham vitórias, mas continuando na zona da degola.

Na verdade sobrarão 6 pontos a serem disputados para o Velho Leão conseguir sair do sufoco, mas o saldo de gols poderá influenciar na classificação, e nesse item esse é o pior.

A goleada de ontem aumentou o seu negativo.

Nos demais jogos da noite, a Chapecoense garantiu a sua presença na Série A de 2018, com uma virada contra o Vitória, com o placar de 2×1.

O time de Chapecó é uma referência para os demais.

O Botafogo que continua caindo pelas tabelas foi derrotado em casa pelo lanterna, Atlético-GO, por 2×1, com o rubro-negro aproximando-se do Avaí e Sport na tabela de classificação.

O Bahia continua evoluindo, derrotou o Santos por 3×1, aproximando-se da Zona da Libertadores, e pelo que está jogando certamente irá conseguir chegar.

Finalmente o Coritiba conseguiu uma importante vitória que irá livra-lo do rebaixamento, ao derrotar o Flamengo por 1×0, que tornou-se saco de pancadas da competição.

O Coxa chegou aos 43 pontos, bem próximo do número magico, que consolidou-se em 44. Uma rodada boa para a Ponte Preta, Coritiba, Bahia, e em especial para o Corinthians que tornou-se campeão antecipado.

DOIS JOGOS DEFINIDORES NA SÉRIE B

* A penúltima rodada da Série B será iniciada na noite de hoje com dois jogos que poderão definir o futuro de três clubes.

O Guarani, 16º colocado, com 43 pontos necessitando de uma vitória para fugir da degola, irá enfrentar em Campinas o Luverdense, que após a derrota para o BOA ficou com apenas 17% de chances para a sua salvação.

Um empate o carrasco irá degola-lo.

O time campineiro tem 87% de chances para escapar.

No segundo jogo, o time do Juventude que não tem mais nada a fazer na competição receberá o Figueirense, 15º, 44 pontos, que necessita de uma única vitória para ultrapassar o número mágico.

Pelo andar da carruagem as nossas previsões mostram o Luverdense como o último rebaixado.

Sport um time deprimente…

PELO BLOG DE JJ

O time do Sport é deprimente e provoca uma forte depressão nos seus torcedores.

O que aconteceu na tarde de ontem no Estádio Olímpico de Goiânia, foi o resultado de uma gestão desastrada que está levando o clube ao fundo o poço.

O returno do rubro-negro é o sinal de um futuro rebaixamento, e só não piorou por conta dos empates entre Coritiba e Ponte Preta, e Grêmio e Vitória, desde que as distancias seriam mais alargadas, mas pelo andar da carruagem Pernambuco será tricampeão em degola numa mesma temporada, e isso sem duvida mostra o buraco bem profundo onde meteram o nosso futebol.

Enquanto o Atlético-GO mostrava dignidade dentro do campo, mesmo com muitas modificações, dominando a partida e fechando o placar por 2×0, o Sport atuava com desânimo, sem motivação, e com o fraco futebol das últimas rodadas.

Voltamos a afirmar mais uma vez que a equipe rubro-negra não tem defesa, não tem meio de campo, não tem ataque, não tem técnico, não tem presidente, e não tem departamento de futebol.

Não tem nada, e vai para o nada.

O executivo que poderia ajudar não executa nada.

Um grupo desse só poderia leva-lo ao buraco onde se encontra.

Faltando 4 jogos para o final da competição, o time da Ilha do Retiro terá confrontos difíceis de serem superados e com esse tipo de jogo que vem apresentando a tendência é de ser rebaixado, desde que são 12 pontos a serem disputados, os três primeiros serão para encostar no Vitória se esse não ganhar o seu jogo, restando 9 para fugir do carrasco da degola.

Os adversários serão Palmeiras (F), Bahia (C), Fluminense (F) e Corinthians (C).

Qualquer torcedor de bom senso sabe bem que é quase impossível com o atual elenco vencer essas partidas, desde que esse é fraco e tem postura de desistência.

Chamamos a atenção muitas vezes para o que vinha acontecendo e o que poderia acontecer, e como acertamos com os times locais da Série B, tudo indica que iremos acertar com o Sport.

Lamentável.

NOTA 2- CORINTHIANS CAMPEÃO

* Com os resultados da 34ª rodada que encerra na noite de hoje com um jogo o grande vitorioso foi o Corinthians que irá levar o troféu para o Parque São Jorge após o seu próximo encontro.

A festa será na Ilha da Alegria em seu último jogo.

Por incrível que pareça o jogo mais dinâmico da rodada foi o de dois times que lutam, contra o rebaixamento, Coritiba e Ponte Preta, com uma grande intensidade nos 97 minutos jogados.

O placar de 1×1 foi justo pelo que fizeram, mas ruim para ambos. A sorte foi a derrota do Sport para o Atlético-GO.

Vasco e São Paulo disputavam uma vaga no Grupo da Libertadores, mas o empate de 1×1, deu uma ducha de água fria para os dois. O futebol praticado foi de péssima qualidade.

Na Serra Gaúcha o Grêmio com vários desfalques, enfrentou o Vitória que saiu à frente do marcador, mas cedeu o empate de imediato.

O placar de 1×1, mostrou a realidade de uma partida fraca, deixando o líder da competição com 10 pontos de diferença para o líder.

Enquanto isso o Palmeiras depois das ameaças que aconteceram na manhã de ontem, com os torcedores organizados protestando na frente de seu Centro de Treinamento pedindo a saída de alguns jogadores e do presidente, o grupo reagiu ao pegar o Flamengo, que tem sido aquele que foi sem nunca ter sido, e o atropelou.

O placar de 2×0 não refletiu a realidade da partida.

Com uma arbitragem criticada pelo Atlético-MG, esse empatou com o Bahia em 2×2, confirmando a boa performance da equipe baiana.

No Mineirão o Cruzeiro derrotou o Fluminense por 3×1, deixando o tricolor ainda sem escapar da degola, apesar dos 43 pontos.

No final tivemos pouco futebol, zero de emoções, e com a certeza de que a rodada foi corintiana.

NOTA 3- O QUE RESTOU DA SÉRIE B?

* A Série B está com poucos metros de diferença para o Photochat, com três clubes rebaixados, uma vaga restante na zona da degola, e quatro clubes lutando para completar a turma do acesso, que já tem o América garantido, e o Internacional bem próximo de chegar ao disco final.

As chances do Ceará e do Paraná são iguais, e esses deverão ser os clubes que fecharão o grupo, com 69% para ambos.

O Oeste tem 28%, e o Londrina, 10%.

O alvinegro cearense joga duas partidas em casa, contra Paysandu e ABC, e uma fora contra o Criciúma, e apenas um furacão poderia tira-lo de jogar a Série A de 2018.

Como no Brasil não existe tal problema, jamais isso irá acontecer.

O Paraná terá dois jogos fora. O do Santa Cruz que pelas noticias que correm no país, não poderá ocorrer, por conta do estado de greve decretada por seus jogadores, e o outro contra o CRB que tem um maior grau de dificuldade. O terceiro será em casa contra o BOA que ainda luta contra a degola.

O time paranista tem dois pontos de diferença para o Oeste, que tem dois jogos em casa (Internacional e Goiás), e um fora contra o ABC.

O Londrina só com um milagre poderá alcançar o acesso.

A disputa ficará entre Paraná e Oeste com uma chance maior para o time tricolor.

Com relação ao rebaixamento, existe uma vaga para cinco clubes: Luverdense com 50% de chances, BOA, com 17%, CRB, 11%, Guarani, 12% e Figueirense (6%).

Apesar do time de Varginha ter um menor percentual nessa disputa, acreditamos que o Luverdense com os dois jogos em casa, inclusive com o confronto direto com o rival poderá escapar, empurrando esse para a Série C de 2018.

Go to Top