Santa Cruz

SANTA: Oliveira Canindé fica até a última partida

O clima no Arruda não é nada agradável. Sem vencer há cinco jogos e apenas cumprindo tabela no restante da competição, a torcida perdeu a paciência com Oliveira Canindé. Muitos culpam o treinador pelas fracas atuações e chances perdidas de entrar no grupo de acesso.

Com o contrato se encerrando no final de novembro, o treinador vai permanecer no clube para o próximo jogo, foi o que garantiu a diretoria. Jomar Rocha(foto) afirmou que Oliveira Canindé não será demitido antes do término do seu contrato.

Resta apenas um jogo e não vemos motivo de tirar ele do cargo agora. Ele chegou em uma situação bastante complicada. Hoje fizemos um bom jogo e jogamos bem no segundo tempo. A diretoria resolveu manter ele até o final do contrato”, afirmou Jomar Rocha.

(Informações do CoralNet)

SANTA: Constantino Junior “O clube deu as melhores condições de trabalho ao treinador”

A temporada vai chegando ao fim e a torcida coral fica apreensiva para saber o rumo que o Santa Cruz vai tomar. Com as chances de acesso sendo mínimas, a equipe ainda terá duas partidas antes do ano acabar. O diretor de futebol Constantino Junior, após reunião com Sandro Barbosa, lamentou as chances perdidas de chegar à Série A.

Infelizmente não conseguimos o acesso. Perdemos varias oportunidades de entrar no G4. Perdemos jogos para as equipes que estavam na parte de baixo da tabela. Mas não podemos botar todo o projeto por água abaixo. Voltamos à Série B após sete anos. Queríamos muito subir novamente, mas sabíamos das dificuldades“, falou o diretor.

OLIVEIRA CANINDÉ

O treinador tinha tudo para se tornar o herói do clube tricolor. Após emplacar seis jogos de invencibilidade e enxergar as chances de subir de divisão aumentarem, o time caiu de produção e não vence há quatro partidas. Agora, praticamente cumprindo tabela, Tininho comentou a situação do técnico e sobre os comentários recentes de que o clube não teria condições de permanecer na primeira divisão.

Eu não sabia que ele (Canindé) tinha falado essas coisas. Ele nunca trabalhou em tão boas condições. Então me estranha esse comportamento. Mas o Santa vem dando ótimas condições. O clube vinha rendendo bem e depois parou. Isso é culpa de estrutura? Estamos nos estruturando e o acesso seria muito importante. Ele está mantido até o próximo jogo. Mas o futuro vai depender das eleições. Mas nossa linha de trabalho espera que ele permaneça“, disse.

RENOVAÇÕES

Uma lista grande de dispensa deve ser anunciada pela diretoria. Os torcedores esperam que alguns nomes renovem contrato e permaneçam na temporada seguinte. Sobre conversas e possíveis nomes, o diretor afirmou que tudo depende do pleito eleitoral.

Tudo vai depender do final do ano. O pleito eleitoral vai nortear o clube para uma situação do bom senso. Não devemos fugir do que a imprensa e torcedores pensam. Algumas divergências vão acontecer, é normal. Vamos dar prioridade aos da base. E aqueles que não tiveram rendimento, nós vamos conversar e ver o que podemos fazer de melhor“, frisou.

DÉBITOS

As possíveis grandes rendas diante do Sampaio Corrêa e Avaí deixariam o Santa Cruz um pouco mais aliviado com relação aos débitos. Mas com as chances de acesso sendo mínimas, um público muito baixo deve marcar presença no último jogo do ano no Arruda.

O Santa Cruz vai viver dias bem melhores. Eu tenho certeza disso. Tudo vem sendo bem trabalhado. Conseguimos um saldo importante com relação ao débitos. Teremos uma certidão negativa de débito. E isso vai fazer com que não aconteçam bloqueios judiciais. Vivenciamos situações bem mais difíceis e conseguimos reverter“, comentou.

(Informações do CORALNET)

SANTA: Canindé divide culpa com o grupo e diz que faltou experiência em campo

Ao final da derrota que praticamente tirou o Santa Cruz da briga pelo acessos à Série A do ano que vem o técnico Oliveira Canindé, visivelmente abalado, admitiu que teve a sua parcela de culpa pelo resultado e lamentou ainda mais o fato de ninguém chamar a responsabilidade em campo para tentar reanimar o time que, desde os primeiros minutos, mostrou um certo nervosismo e bastante ansioso diante da torcida.

Se eu tive alguma parcela positiva quando estava bem então eu tenho assim como todo treinador tem quando a coisa está ruim. Faltou um jogador para carregar a bola e assumir a responsabilidade. Somos um time mesclado de jovens valores e outros tarimbados, mas nessa hora é preciso ter um perfil de liderança, mas em todos jogadores para que o time cresça “, afirmou.

Do lado de fora, alguns torcedores passaram boa parte da entrevista xingando o técnico e citando também o presidente do clube, Antonio Luiz Neto.

Oliveira mostrou um semblante de preocupação, temendo que os torcedores invadissem a sala de entrevista para o agredir. Ele até deu continuidade e respondeu as perguntas, mas sempre olhava assustado a cada vez que a porta se abria e via os torcedores lhe xingando. No entanto a segurança do clube foi reforçada e não permitiu que os torcedores mais exaltados adentrassem à sala.

Em campo

Desde os primeiros minutos foi possível perceber que o time estava bastante nervoso em campo. Nas arquibancadas os torcedores começaram apoiando o time, mas, a cada erro de passe e precipitação nas jogadas individuais, ouviam-se as primeiras vaias. Após o primeiro gol na etapa final, a paciência da torcida coral foi embora e os xingamentos ao técnico tomaram conta das arquibancadas. Sobre as críticas ele disse:

É natural receber críticas, quem está no futebol sabe disso e tem que passar. Nosso time foi bem marcado no primeiro tempo e quando tomamos o gol tudo ficou mais difícil porque o Sampaio se fechou ainda mais”, acrescentou. Outro questionamento da torcida foi quanto a saída de Keno para a entrada de Pingo.

Para os torcedores o camisa 11 estava bem em campo e o volante Memo é quem deveria ser sacado da equipe. Oliveira afirmou que a saída de Keno foi forçada pois o atacante se queixou de cansaço e precisou sair. “O Keno reclamou que estava cansado, eu já tinha conversado com ele no treino de ontem (segunda-feira), o Tiago também mostrou-se cansado mas teve que continuar”, explicou.

(Blog do torcedor)

SANTA: Oliveira Canindé ” Falta mais um pouco de maladragem no grupo “

O Santa Cruz voltou a decepcionar no Campeonato Brasileiro da Série B. Desta vez, o Mais Querido foi alvo do Bragantino/SP, que venceu por 2 x 1 e respirou na briga para não cair à Série C. Já a situação do tricolor não é nada confortável na disputa pelo acesso, pois o terceiro jogo sem vitória na competição deixou o sonho do G4 mais distante.

Os erros defensivos, um deles de bola parada, prejudicaram o time coral novamente. Vale lembrar que essa foi a terceira vez que a equipe comandada por Oliveira Canindé desperdiçou a oportunidade de ingressar no grupo dos quatro mais bem colocados. O comandante avaliou a virada sofrida e elogiou o comportamento da equipe, principalmente na etapa complementar com as substituições após o intervalo.

Ele viu os jogadores buscando o gol a todo instante, criticando muito o árbitro da partida, pelo fato de marcar muitas faltas e não deixar o confronto correr.

As alterações são circunstâncias normais de jogo, tanto é que a equipe se comportou melhor no segundo tempo. Infelizmente, nós perdemos por uma bola. O time jogou bem, mas perdeu. Buscamos o gol e tivemos oportunidades, que não foram aproveitadas. O que também dificultou bastante foi o juiz, que inverteu várias faltas e parava muito o jogo“, analisou.

SUBSTITUIÇÕES

Ainda no assunto sobre alterações, o técnico tricolor destacou positivamente a participação do atacante Betinho. Segundo Canindé, a equipe perdeu mesmo tendo mostrando um futebol regular dentro de campo, voltando a criticar o trio de arbitragem.

No primeiro tempo fomos apáticos. Já no segundo tempo, a equipe cresceu com as mudanças. Nós buscamos outras alternativas. Colocamos o Betinho e ele entrou bem. Às vezes a mídia olha em cima do resultado. Acabamos perdendo mesmo jogando bem, porém acaba sendo mau. Falta mais um pouco de maladragem no grupo e sentimos isso. Além do mais, a arbitragem foi bastante insegura“, disse.

ACESSO

O resultado complicou a vida do Mais Querido, pois a diferença é de dois pontos para o grupo de acesso à elite nacional. Apesar das circunstâncias, ele ressaltou que o time segue na briga, exigindo mais precisão nas oportunidades até o final da competição.

Nós precisamos vencer. Neste momento, não adianta convencer com um bom futebol. Isso não tem acontecido. Ainda dá tempo, pois estamos no páreo. Espero que a gente aproveite as oportunidades“, argumentou.

ADVERSÁRIO

A equipe paulista não teve uma grande exibição, pórem aproveitou as bobeiras do sistema defensivo coral para sair de campo com os três pontos. Oliveira Canindé comentou sobre o revés sofrido e frisou que os atletas do Santa pecaram na conclusão.

O Bragantino/SP aproveitou o jogo aéreo e acabou conseguindo fazer o gol. Foi tudo que eles queriam, pois não soubemos aproveitar as chances. Alemão e Wescley tiveram oportunidades e chegamos outras vezes. Por conta do árbitro, o jogo não fluía. Sabíamos que seria difícil vencer, por conta do desespero do adversário. Queríamos a vitória, mas mesmo sendo derrotados ainda dá tempo de conquistar o acesso“, enfatizou.

(Informações do CoralNet)

SANTA: Keno será a arma tricolor em Bragança

A situação do Bragantino/SP na tabela da Série B (39 pontos) projeta um time que – jogando em casa – saia, logo de início, em busca do gol, com isso, o time Coral precisará ser inteligente e usar a velocidade para tentar surpreender.

Nesse aspecto, o Santa Cruz conta com o atacante Keno, velocista nato, e peça fundamental nos contra-ataques, e que – sem a presença de um referência (Léo Gamalho), pode ter um parceiro parecido, pelos menos, que entre a 120 “kenos” por hora.

Isso é verdade: Cassiano ou Adilson, são jogadores muito bons e, quem for entrar, vai cumprir o que Léo Gamalho faz, ajudando, então, de ambos, a gente espera que entrem e possam ajudar nossa equipe“, disse Keno.

(SiteOficial)

SANTA: Oliveira Canindé cheio de duvidas!

A missão do Santa Cruz vai se tornando cada vez mais complicada. Restando apenas quatro jogos para o restante da Série B, a equipe tricolor precisa de um resultado positivo – e torcer por tropeços de Avaí e Boa Esporte -, para entrar pela primeira vez no G4.

O duelo da vez é contra o Bragantino, em Bragança. Os alvinegros lutam para sair da degola e não vão enfraquecer diante dos pernambucanos.

Ciente das dificuldades que a equipe vai encontrar na partida, Oliveira Canindé espera que os jogadores consigam suprir a ansiedade do momento e façam sua parte.

Continuamos motivados. A reta final é crucial para aquilo que desejamos. Sabemos que será um jogo complicado. O Bragantino precisa sair da parte de baixo para evitar o rebaixamento, e nós queremos os três pontos para alcançar o G4. É um jogo de muita atenção”, frisou.

ESCALAÇÃO

Três atletas estão suspensos e não vão poder entrar em campo na 35° rodada. Sandro Manoel, Tiago Costa e Léo Gamalho ficam de fora devido ao terceiro cartão amarelo. Julinho e Renatinho, que seriam opções para a lateral esquerda, estão entregues ao Departamento Médico. O técnico coral vai quebrando a cabeça para escalar a equipe e deixou três dúvidas no ar.

A equipe que iniciou o coletivo de hoje teve: Tiago Cardoso, Everton Sena(foto), Marllon, Renan Fonseca, Nininho; Bileu, Danilo Pires, Natan, Wescley; Keno e Léo Gamalho.

O time está completamente definido. Quero que a imprensa busque e coloque as alternativas. Eu não quero passar muita coisa de mãos beijadas para o adversário. Nesse momento, uma informação pode ser crucial. As dúvidas que todos vão ficar é entre Tony ou Natan e Adilson ou Cassiano. No mais, não vou mexer em muita coisa. Todos estão cientes do que devem fazer”, falou.

LATERAL ESQUERDA

Sem Tiago Costa, Julinho e Renatinho, o Santa Cruz fica sem jogadores de origens para a lateral-esquerda diante do Bragantino. Nininho ficou durante a movimentação inteiro do lado esquerdo e deve fazer essa função.

O Nininho já atuou em algumas oportunidades pelo lado esquerdo. Conversei com a comissão técnica e eles me informaram isso. Mas também testei o Williams e Memo. Vou testando e ver o que pode ser melhor pela equipe. Mas, devido aos problemas, quem entrar, será por uma improvisação”, disse.

TONY

A novidade no treinamento foi a entrada de Everton Sena na lateral direita. Mesmo com Tony recuperado de lesão, o técnico tricolor optou pela improvisação do zagueiro, deixando o lado direito mais forte na marcação. Sobre a mudança, Canindé comentou sobre o que pretende, caso confirme a escalação.

Tony não foi punido no julgamento. Mas ele vinha com problema no tornozelo e eu tive que buscar alternativas. Tenho mais dificuldades pelo lado esquerdo. Hoje, no elenco, o meu lado direito conta com muitos atletas que podem fazer a função. Tony tem muita experiência e eu venho botando outros atletas para que possam se aprimorar na posição. Sempre busco situações de jogo”,

RODADA

A rodada de número 35 começou boa para o Santa. A derrota do Atlético/GO para o Paraná fez o time goiano estacionar nos 53 pontos. Sobre secar os demais adversários, Oliveira Canindé afirmou que tudo vem conspirando em prol do tricolor, mas que prefere não fazer muitas contas.

Eu estou na expectativa de entrar. Eu sempre falo para o grupo que tudo vem conspirando a nosso favor. Nós temos totais condições de entrar e vamos buscar fazer isso na próxima rodada. Eu não olho muito para a matemática. Precisamos fazer por merecer a nossa vaga. Nosso grupo vai continuar buscando”, declarou.

(Informações do CoralNet)

SANTA: Oliveira Canindé cheio de broncas para escalar time

O Santa Cruz realizou o primeiro treino com todo o grupo na tarde desta terça-feira (11), no estádio do Arruda. No páreo em busca do acesso e mirando o próximo adversário, o Bragantino/SP, os jogadores corais não quererem baixar a guarda nos quatro últimos compromissos do Campeonato Brasileiro da Série B.

Para que isso não ocorra, o tricolor não pode perder o ritmo da preparação para o jogo de sábado (15), às 16h20.

No campo de jogo, Oliveira Canindé comandou um treino técnico-tático e, como de costume, utilizou apenas a metade das dimensões do gramado. Ainda sem poder contar com Renatinho, machucado na região pubiana, e Julinho, com estiramento do músculo da coxa direita, o técnico tricolor não utilizou nenhum deles nas atividades.

Tiago Costa, Sandro Manoel e Léo Gamalho, todos suspensos da próxima partida por cartão, trabalharam normalmente. O mesmo aconteceu com o lateral direito Tony, que está recuperado da entorse no tornozelo esquerdo e voltou ao batente. O zagueiro Alemão se queixou de uma entorse no tornozelo esquerdo e foi a baixa. Segundo o DM coral, ele não preocupa para o confronto em Bragança Paulista.

Para finalizar o segundo treino da semana, o treinador deu ênfase nas finalizações, buscando afiar a pontaria dos atletas, que pecaram bastante nos últimos dois embates. Após reclamar do problema de colocar a bola na rede, ele fez questão de aprimorar.

A quarta-feira (12) coral será de trabalhos no expediente da tarde, às 15h30, ainda com local indefinido. A expectativa é para que Oliveira Canindé comece a dar pistas da equipe titular, que entrará em campo contra os paulistas, pela 35ª rodada da Segundona.

(Informações do CoralNet)

TONY(foto) A DISPOSIÇÃO: O lateral foi julgado no final da tarde no STJD e pegou apenas uma advertência

SANTA: Oliveira Canindé “Estamos ansiosos para chegar ao G4″

O empate com o Náutico, na Arena Pernambuco, pelo placar de 0 x 0 não foi motivo para o Santa Cruz celebrar, até porque deixou escapar o inédito G4 do Campeonato Brasileiro B deste ano, pela segunda vez seguida. Ao ficar no amargado resultado sem gols, o tricolor terminou a 34ª rodada na 7ª colocação com 52 pontos.

As circunstâncias do embate deixaram o técnico Oliveira Canindé magoado, pois a equipe coral não conseguiu somar os três pontos em seu primeiro clássico no comando. Em relação ao 503º Clássico das Emoções e o último do ano, ele declarou que nesse tipo de partida o que vale é a imposição, lembrando que a força de vontade prevaleceu no decorrer do confronto.

Clássico ganha quem se impõe. Às vezes precisa ser na força. Brigamos por cada espaço do campo e foi um dos jogos mais dificeis do Santa Cruz. Horas achei que ganharia e horas pensei que perderia, por conta da intensidade apresentada. É normal isso acontecer num clássico, pois é mais disputado do que jogado“, avaliou.

PRESSÃO:

Um fator que tem atrapalhado a entrada do Mais Querido no lugar priveligiado da competição é a pressão dentro de campo, algo que foi visível nas duas últimas rodadas. Quanto a esse quesito, o técnico tricolor admitou a ansiedade, mas destacou que empenho não irá faltar nas quatro partidas finais.

É normal essa pressão que a gente sente. Estamos ansiosos para chegar no G4 e o torcedor também. Às vezes, ambos ficamos impacientes. Estamos jogando com intensidade, até porque queremos chegar lá. Espero que com o nosso esforço consígamos entrar no grupo dos quatro com muito empenho“, enfatizou.

(Informações CoralNet)

SANTA: Muitos segredos para o clássico…

Como já era esperado, o penúltimo treino do Santa Cruz antes de encarar o Clube Náutico foi de portões fechados. Para a imprensa, só imagens do aquecimento foram liberadas. A novidade na movimentação foi a presença de Tiago Costa, que não deve ser problemas para o clássico. Já o lateral direito Tony não subiu para o gramado e continua como dúvida.

Bileu, que ainda sente uma indisposição intestinal, subiu, aqueceu e, antes de iniciar o trabalho com bola, desceu correndo para o vestiário e subiu após cerca de cinco minutos. Quem também esteve presente no campo foi Renato Silva. O zagueiro segue cuidando de sua lesão.

O elenco volta aos trabalhos na sexta-feira pela manhã, também no Arruda e em seguida entra em regime de concentração para encarar o Náutico, no sábado (8), na Arena Pernambuco.

(Informações da CoralNet)

SANTA: Tiago Cardoso “Fomos bem na maioria dos clássicos contra o Náutico”

Todo jogador afirma gostar de atuar em Clássico. E com Tiago Cardoso não será diferente. Sempre com excelentes atuações em partidas decisivas, ciente das dificuldades que a equipe vai encontrar e da necessidade de vencer, o arqueiro coral prevê uma partida bastante disputada. O Santa Cruz continua esperando figurar no G4, mas sem se preocupar com os demais resultados.

Um clássico envolve muita coisa. É um jogo realmente diferente. Uma expectativa muito grande da imprensa e do torcedor. E nós jogadores queremos entrar no G4. Não vamos ficar pensando nos resultados dos adversários. Precisamos fazer a nossa parte. Fomos bem na maioria dos clássicos contra o Náutico e cada um precisa funcionar direitinho na sua função”, comentou.

Um estreante em clássico com a camisa do Santa Cruz é o zagueiro Alemão. Desde a partida contra o Bragantino/SP como titular, o zagueiro terá a missão de ajudar a defesa. Capitão da equipe, Tiago Cardoso comentou sobre o companheiro de setor e elogiou as qualidades do ex-zagueiro do Náutico.

Cada um está bem orientado aqui no grupo. Sabem do que precisam fazer e das suas responsabilidades. O que eu puder ajudar, defendendo e orientando, irei fazer. Mas o Alemão é um zagueiro rodado e experiente. Conhece bem o ambiente do Náutico e isso vai nos ajudar”, avaliou o camisa 1.

(Informações da CoralNet)