Copa do Mundo 2014

Alemanha 1×0 Argentina ” É TETRA!! “

O gol do título foi marcado por Gotze no segundo tempo da prorrogação…

Brasil 0x3 Holanda “Fracasso total”

O dono da festa saiu dela envergonhado. A Seleção Brasileira que imaginava poder ser hexacampeã na Copa do Mundo que sedia não conseguiu nem manter o perdão que recebeu da torcida neste sábado. O time montado por Luiz Felipe Scolari não foi capaz de terminar o torneio com o terceiro lugar e voltou a ter motivo para se envergonhar ao perder da Holanda por 3 a 0 neste sábado.

A torcida que foi ao Mané Garrincha gritou “pentacampeão” e aplaudiu a equipe, só não desculpando Felipão pela humilhante derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal. Mas ampliou a vaia para todos que vestiam verde e amarelo no gramado e percebeu que, sem nada a comemorar no presente, foi necessário recorrer ao passado, terminando o Mundial lembrando que só Pelé fez mil gols.

(GazetaEsportiva)

HOJE: Brasil X Holanda “O Bagaço diante da Laranja na disputa pelo 3º lugar”

É uma partida que ninguém quer disputar. Um duelo entre duas seleções frustradas por terem ficado fora da grande final, com pouco interesse esportivo, já que ninguém lembra do terceiro colocado da Copa do Mundo.

Mesmo assim, as disputas pelo terceiro lugar costumam ter bastante espetáculo, com muitos gols marcados, como na última edição, com a vitória de virada por 3 a 2 da Alemanha sobre o Uruguai.

Desta vez, a seleção brasileira chega arrasada depois de sofrer a maior humilhação da sua história, massacrada por 7 a 1 pela Alemanha, na última terça-feira no Mineirão.

É a quarta vez que o Brasil disputará o terceiro lugar de um Mundial. Foram duas vitórias, em 1938 (4 a 2 sobre a Suécia) e em 1978 (2 a 1 sobre a Itália), e uma derrota, em 1974 (1 a 0 para a Polônia).

A partida contra a Holanda, que perdeu nos pênaltis para a Argentina na outra semifinal, está marcada para este sábado, no estádio Mané Garrincha de Brasília.

(Terra.com)

Copa 2014: Alemanha jogará a final de branco e Argentina, de azul

Os torcedores do Flamengo que esperavam ver a camisa da “Flalemanha” domingo no Maracanã ficarão decepcionados. Para a final da Copa do Mundo 2014, marcada para as 16h, as equipes entraram num acordo, já que pertencem à mesma fabricante de material esportivo, e decidiram que os alemães jogarão com o uniforme predominantemente branco e os argentinos, de azul.

A camisa rubro-negra da Alemanha foi sucesso de vendas antes e durante o Mundial, tanto que vendeu 2 milhões de um total de 8 milhões comercializadas entre as nove seleções da competição que têm seus uniformes confeccionados pela multinacional germânica. A camisa da “Flalemanha”, como vem sendo chamada, foi utilizada em dois jogos nesta Copa e mostrou ser pé quente: na vitória por 1 a 0 sobre os Estados Unidos, ainda na primeira fase, e na goleada histórica por 7 a 1 contra o Brasil, pela semifinal.

Já os hermnaos atuarão pela primeira vez de azul neste Mundial. Em todos os seis jogos anteriores, a equipe de Alejandro Sabella usou a tradicional azul e branca.

Esta será a terceira final de Copa entre Alemanha e Argentina. Em 1986, no México, os sul-americanos usaram a camisa Albiceleste e derrotaram o time germânico, que entrou em campo de verde, por 3 a 2. Já em 1990, na Itália, os alemães vestiram a famosa camisa branca e levaram a melhor fazendo 1 a 0 sobre os argentinos, que adotaram o azul marinho.

Extra.globo.com

Italiano apitará a final da copa entre Alemanha e Argentina

A Fifa confirmou, nesta sexta-feira, a arbitragem para a final da Copa do Mundo de 2014. O italiano Nicola Rizzoli, 42 anos, será o responsável por apitar a partida entre Alemanha x Argentina, neste domingo, às 16h, no Maracanã. Ele será auxiliado pelos compatriotas Renato Faverani e Adrea Stefani.

Rizzoli apitou três jogos neste Mundial. Mostrou nove cartões amarelos, nenhum vermelho e apitou média de 23 faltas por partida. Ele começou a Copa comandando a goleada da Holanda sobre a Espanha, por 5 x 1. O resultado do jogo acabou o ajudando, pois os espanhóis saíram na frente no placar após um pênalti mal marcado em Diego Costa. Também esteve em campo nas vitórias argentinas sobre a Nigéria, por 3 x 2, e Bélgica, por 1 x 0.

Rizzoli será terceiro italiano a apitar final de Copa. Foto: Dennis Sabangan/EFE

No currículo, o juiz italiano conta com duas finais nas competições mais importantes do seu continente. A decisão da Liga Europa 2010 (Atlético de Madrid 2 x 1 Fulham) e a final da Liga dos Campeões 2013 (Bayern de Munique 2 x 1 Borussia Dortmund). Em 2011, trabalhou no Mundial de Clubes. Apitou, inclusive, a vitória do Santos sobre o Kashiwa Reysol, por 3 x 1. Também atuou na Eurocopa 2012 e na Copa do Mundo sub-20, em 2013, na Turquia.

Será a terceira final de Copa apitada por um árbitro italiano. O primeiro foi Sérgio Gonella, que comandou Argentina 3 x 1 Holanda, em 1978. O segundo foi Pierluigi Collina, que trabalhou em Brasil 2 x 0 Alemanha, em 2002.

E uma outra curiosidade. A duas seleções finalistas desta Copa jogaram em Porto Alegre e o árbitro da final também apitou na capital gaúcha.

ALEMANHA X ARGENTINA – 16H – DOMINGO
Árbitro: Nicola Rizzoli (Itália)
Assistente 1: Renato Faverani (Itália)
Assistente 2: Adrea Stefani (Itália)
4º árbitro: Carlos Vera (Equador)

(BLOG DO DIORI)

Holanda 0 (2)X(4) 0 Argentina “Nos pênaltis Argentina chega a final da Copa”

Aparentemente, a segunda semifinal da Copa do Mundo de 2014 teve como influência direta a pífia atuação da seleção brasileira contra a Alemanha, quando foi humilhada ao levar goleada por 7 a 1 no Mineirão.

Nem Holanda nem Argentina se arriscaram durante os 120 minutos de jogo desta quarta-feira, no Itaquerão, dando a entender que preferiam evitar entrar para a história das Copas de forma negativa do que conquistando a vaga na final com futebol ofensivo.

O resultado foi um jogo fraco tecnicamente, sem grandes momentos de emoção, e que só foi decidido nos pênaltis. Após o 0 a 0, Messi abriu a série Argentina com gol. E aquele que já foi eleito quatro vezes o melhor do mundo terá a chance de, enfim ganhar uma Copa, e logo na casa do principal rival de sua seleção. Vitória da Argentina por 4 a 2 nas cobranças e vaga na decisão.

A Copa terá um duelo entre América do Sul e Europa em seu jogo final. Os sul-americanos, com a Argentina, buscarão empatar o número de conquistas em 10 a 10; os europeus, com a Alemanha, tentarão se consolidar como os maiores campeões. O Maracanã, assim como em 1950, será o palco da decisão – a partir das 16h do próximo domingo. Ou o mundo terá o carrasco do Brasil como campeão, ou uma seleção azul celeste. De qualquer maneira, 64 anos depois, a história terá contornos iguais. E a consagração de uma geração formada há oito anos ou do melhor jogador da última década.

Fases do jogo: 22 horas depois do Brasil levar sete gols da Alemanha, houve quem se decepcionasse com o 0 a 0 do 1° tempo entre Holanda e Argentina. O problema é que, diferentemente do duelo de terça-feira, no Itaquerão não havia uma seleção que saísse de seu estilo de jogo, e muito menos de forma tão negativa com a seleção brasileira.

Assim, a Holanda seguiu como foi por toda a Copa, jogando com cinco defensores e esperando o ataque rival para roubar a bola e buscar Robben, que perdeu o duelo para Demichelis e Garay nas poucas arrancadas que teve chance, enquanto os argentinos atacavam mais, mas sempre na base da individualidade – claro, principalmente com Messi. O craque da Argentina tentou por algumas vezes sua jogada preferida, a arrancada com a esquerda, mas a zaga holandesa soube como detê-lo.

Na segunda etapa, o panorama do jogo pouco mudou. Cada seleção criou apenas uma chance real de perigo – e ambas foram anuladas pela arbitragem, por impedimentos corretamente marcados. A partir dos 10 minutos finais, o clima modorrento imperou – quebrado apenas por Robben, aos 45 minutos, travado por Zabaleta na entrada da pequena área. Restou a prorrogação. E nada de alguma mudança surgir. A Holanda até tentou atacar mais, saindo um pouco de seu padrão tático, mas o momento de maior susto no tempo extra foi quando Cillessen, o goleiro holandês, driblou Palacio na área, correndo risco enorme para o momento decisivo da partida.

Nos pênaltis, Romero se consagrou: pegou as cobranças de Vlaar e Sneijder e, como os argentinos converteram suas quatro cobranças, foram à final com Maxi Rodriguez acertando o último.

UOL.COM

Ricardo Rocha “Assistimos uma aula de futebol e humildade dos Alemães”

O ex zagueiro da seleção Brasileira que conquistou o tetra mundial nos Estados Unidos, Ricardo Rocha, comentou a derrota da seleção Brasileira por 7×1 em pleno Mineirão.

Em toda minha vida nunca vi o que a seleção Alemã fez aqui no Mineirão. Foi um exemplo de humildade. Eles fizeram sete a zero e em momento algum esnobaram o adversário, e continuaram jogando um bom futebol. No Brasil quando um time faz 2×0 num clássico os jogadores já querem dar caneta e tirar onda

Brasil 1×7 Alemanha “A maior vergonha de todos os tempos”

Sandro Meira Ricci é relacionado para jogos finais da Copa

O árbitro da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Sandro Meira Ricci, foi selecionado pela FIFA para os jogos finais da Copa do Mundo. As boas atuações durante o Mundial o deixaram apto a apitar a decisão do terceiro lugar ou final.

O resultado da seleção brasileira vai indicar se Meira Ricci poderá apitar a final ou a disputa da terceira posição. Na Copa do Mundo, o árbitro da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol de Pernambuco (Ceaf-PE) comandou três jogos: França x Honduras, Alemanha x Gana e Alemanha x Argélia.

No total, 15 dos 25 trios de arbitragem permanecerão no Brasil à disposição para estas partidas. O comitê definiu a lista após um cuidadoso monitoramento diário de todos os árbitros e assistentes juntamente com a equipe técnica. Assim como aconteceu ao longo de todo o torneio, a qualidade foi o principal critério analisado, aliada a aspectos físicos, médicos e técnicos, que também foram levados em consideração“, informou o comunicado da FIFA.

Sandro Meira Ricci tem 39 anos é funcionário público e fez o curso de arbitragem em 2003. Ele está no quadro da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol de Pernambuco (Ceaf-PE) desde março de 2012. Está na FIFA desde 2011.

(FPF-PE)

HOJE: Brasil X Alemanha “A hora da verdade”

Quando pensamos em Brasil x Alemanha em Copas do Mundo, vem na memória a final do Mundial, em 2002. Na verdade, esse confronto foi o único entre as seleções que mais entraram em campo em Copas.

Na ocasião, as equipes dispututavam, além de um título de campeão do mundo, a hegemonia no torneio. A seleção brasileira tinha quatro conquistas e via a seleção alemã, com três, como a grande rival no momento. Se perdesse a decisão para os europeus, eles ficariam empatados no tetra.

Desacreditada na época, o Brasil chegou à final com seis vitórias em seis jogos. Já a Alemanha, vinha de cinco triunfos e um empate.

Na partida, quem comandou a vitória brasileira foi Ronaldo. Artilheiro de todas as Copas, o atacante marcou os dois gols do Brasil e garantiu o pentacampeonato.

HOJE:

Brasil e Alemanha decidem ,no MIneirão, uma vaga à grande final da Copa do Mundo. As seleções chegam às semifinais rigorsamente empatadas no número de gols. Em cinco partidas, brasileiros e alemães marcaram dez vezes, porém a Nationalelf leva vantagem no saldo de gols.

A equipe de Felipão sofreu quatro gols, enquanto a zaga alemã foi vazada apenas três vezes. Os germânicos também seguem invictos, mas com uma vitória a mais do que a seleção brasileira, que empatou com México e Chile.

Ambos possuem seus artilheiros com quatro gols. Neymar conseguiu dois dobletes contra Croácia e Camarões. Já Thomas Müller marcou diante de Portugal (3) e Estados Unidos (1).  Além disso, as duas seleçoes conseguiram a classificaçao às semifinais com gols de zagueiros, Thiago Silva e David Luis fizeram para o Brasil, no 2 x 1 ante a Colômbia, enquanto Mat Hummels foi o herói diante da França.

Comparativo Brasil x Alemanha
Brasil Dados Alemanha
5 Partidas 5
3 vitórias 4
2 empates 1
0 derrotas 0
10 gols marcados 10
4 gols sofridos 3
70% Porcentagem de chutes 70%
1816 Passes completos 2938
96 Faltas cometidas 57
Neymar (4 gols) Artilheiro Thomas Müller (4 gols)


FICHA TÉCNICA:
BRASIL X ALEMANHA

LOCAL: Mineirão -HORÁRIO: 17h
ÁRBITRO: Marco Rodríguez (México)
ASSISTENTES: Marvin Torrentera e Marcos Quintero (México)

BRASIL: Julio César, Daniel (Maycon), Dante, David Luiz e Marcelo; Fernandinho, Luis Gustavo, Oscar e William (Paulinho); Hulk e Fred. Técnico: Felipão
ALEMANHA:  Neuer; Lahm, Boateng, Hummels e Howedes; Khedira, Schweinsteiger, Kroos (Kramer) e Özil (Götze); Müller e Klose (Schürrle) | Técnico – Joachim Löw