Convocação da seleção Brasileira Olímpica Rio 2016

Confira a convocação da seleção Brasileira que disputará as Olímpiadas no Brasil..

SÉRIE D – Ex técnico do Goiás, Ricardo Drubscky, acerta com o Anápolis

A quarta-feira (29) foi agitada no Anápolis. Após perder o técnico Waldemar Lemos, que aceitou uma proposta para treinar o Remo, a diretoria do Galo da Comarca agiu rápido e anunciou Ricardo Drubscky como seu novo comandante.

O vice-campeão goiano disputa a Série D do Campeonato Brasileiro e é 2ª colocação do Grupo A11 da competição, com 5 pontos em três jogos – 1 vitória e 2 empates. Drubscky, que dirigiu o Goiás em 2014, chega com a missão de tentar levar o Anápolis à 3ª Divisão Nacional.

O técnico mineiro, de 54 anos, é ligado ao empresário Francis Melo, e antes de assumir o Galo esteve no Tupi, mas foi demitido após os insucessos nas primeiras rodadas da Série B. Drubscky tem passagens ainda pelo Fluminense, Vitória e Atlético (PR), entre outros.

Ricardo Drubscky chega pra revolucionar o futebol anapolino“, anunciou o Galo em uma rede social. A estreia de Drubscky no comando do Anápolis deve ocorrer no domingo, contra o 7 de Dourados, no Mato Grosso do Sul. O time sul-mato-grossense lidera a chave, com 6 pontos.

(OPopular.com)

Vitória-BA 3X2 Sport – Festival de lambanças do leão Pernambucano

O Sport foi derrotado pelo Vitória-BA por 3×2 no estádio Barradão com um festival de lambanças da arbitragem e do treinador Oswaldo Oliveira.

O árbitro expulsou injustamente o apagado Éverton Felipe no primeiro tempo, e o técnico Oswaldo Oliveira se perdeu completamente na tentativa de organizar a equipe. Os gols do Sport foram marcados por Matheus Ferraz, duas vezes. Reinaldo Lenis também foi expulso.

CBF agora entra na Justiça contra empresa que patrocina arbitragem e cobra R$ 4 milhões

A CBF ingressou na Justiça contra a Cambuci S.A., gestora das marca de material esportivo Penalty, que tem contrato com a entidade para fornecimento de uniformes aos árbitros que apitam jogos dos torneios organizados pela confederação.

Segundo apuração do ESPN.com,br, a CBF exige quase R$ 4 milhões no processo.

A entidade alega que a empresa fornece uniformes às arbitragens das Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro e também da Copa do Brasil.

Por contrato, desde 2011 a Cambuci paga à confederação o valor anual de R$ 1,52 milhão dividido em parcelas trimestrais de R$ 380 mil, com correção anual pelo índice IGPM-FGV.

Assim, com aditivos contratuais o valor virou R$ 1.638.740,88 em 2013, enquanto em 2014 as parcelas quarta e quinta daquele ano – cada uma de R$ 173.324,71 – seriam prorrogadas a agosto e setembro, sendo o saldo remanescente remanejado para 2015 e proporcionalmente distribuído nas dez parcelas correspondentes àquele ano.

Contudo, a confederação diz que a Cambuci foi inadimplente e não efetuou pagamentos de cinco meses do ano passado, totalizando dívida de R$ 1.489.798,10.

A CBF alega que tentou resolver a questão de forma amigável, mas não conseguiu. E acrescenta que, com as correções monetárias mais multa penal, a quantia do débito chega a exatos R$ 3.852.606,66.

O processo foi distribuído em 13 de junho deste ano e corre no Foro Regional da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

A CBF tem fechado o cerco contra parceiros e ex-patrocinadores.

Na última segunda, o ESPN.com.br revelou que a entidade cobra R$ 135 milhões da Procter & Gamble, que quebrou contrato com a federação por causa dos recentes escândalos de corrupção.

As cobranças vem ocorrendo, por sinal, justo na era de menor faturamento da confederação ao longo da última década. Os ganhos caíramu de R$ 360 milhões em 2014 para R$ 340 milhões em 2015, quando a CBF tinha a expectativa de lucrar R$ 400 milhões.

(msn.com)